Guilty Gear XX Reload – rock e luta nas veias!

Publicado: 3 de fevereiro de 2011 em Games, Review
Tags:, , , , , , ,

 

Guilty Gear XX The Midnight Carnival # Reload é um game da Arc System Works/ Sammy Studios, para Arcade, PC, Playstation 2 e X-Box. É a maior obra de Daisuke Ishiwatari. Se passa no future e até tem uma trama boa, para um game de luta. Infelizmente, o modo story é uma porcaria, com uma trama dessas, poderia ser bem melhor. Aliás, poderiam fazer um anime de GG. O game se passa num futuro distópico de fantasia e ficção científica. Para entender a trama, seria necessário jogar os outros dois games da franquia (Guilty Gear e Guilty Gear X, para PSX e Dreamcast, respectivamente) ou ler na internet.

História – 9,0

Em 2010, os humanos descobriram uma fonte ilimitada de energia de poder

incrível, que chamaram de Magic. Apesar de prover uma solução mundial para a crise de energia, as guerras continuaram. O poder da Magic foi combinada com o

corpo humano criando armas vivas conhecidas como Gears. Eventualmente

os Gears se voltaram contra a raça humana, começando uma guerra longa e centenária globalmente conhecida como Crusades (Cruzadas) onde a Sacred Order of Holy Knights (Ordem Sagradas dos Santos Cavaleiros, Seikishidan sendo o nome japonês), derrotaram Justice, a líder dos Gears. Justice foi aprisionada em uma prisão dimensional, todos os outros Gears aparentemente cessaram de funcionar, trazendo um fim na era de conflito.*

Depois disso vem as

histórias separadas de cada game, em que Justice é libertada, uma nova gear chamada Dizzy aparece e também, em XX, o misterioso That Man.

É complicado explicar pra não ficar muito longo o review.

Versões

 

XX teve várias versões lançadas. Teve o primeiro, que só tinha o nome XX Midnight Carnival, depois veio a versão Reload, depois a Slash e depois a Accent Core e Accent Core Plus. Nessas versões, pouco se adiciona à fórmula original. O que mais traz diferenças é o Accent Core.

Jogabilidade – 10

A jogabilidade da série e, consequentemente, de Reload, é uma das mais complexas do mundo dos games. É cheia de comandos e situações difíceis de dominar. Tem uma série de regras e tenta a todo custo ser equilibrada. Sem alguma ajuda é impossível entender o que se passa. No meu caso, eu tive ajuda do site Gamefaqs (em inglês). Isso porque não entendi a ajuda do site Guilty Gear BR. Mas mesmo com toda essa dificuldade, mesmo noobs (principiantes, como eu) podem se divertir à beça. Basta masterizar o básico. O game tem um sistema de combos que pode produzir coisas gigantescas, mas fazer essas sequencias enormes de golpes é inútil, porque quanto mais golpe em sequencia se dá, menor dano os golpes causam. Ou seja, serve só pra exibicionismo. A jogabilidade aqui é o ponto forte e é completamente diferente de qualquer outro jogo. Apesar de que devo mencionar que o modo story do jogo é muito chato, escolheram um jeito muito enjoativo de contar a história e o modo arcade não é tão bom também.

Sons – 10


A sonoridade também chama a atenção, com uma trilha de metal rock que combina perfeitamente com as batalhas ferozes do game. A sonoridade toda também é muito bem feita.

Gráficos – 10

Incríveis gráficos em 2D HD, na verdade foi um dos primeiros (se não O primeiro) games a usar esse tipo de gráfico. E o faz perfeitamente bem. Os cenários tem todos uns conceitos muito legais e se encaixam no game, assim como os personagens e tudo o mais. Nada a reclamar aqui.

Personagens – 10

Todos muito interessantes. Principalmente por serem personagens arrojados, de tipos que não se vê comumente em lugar nenhum. Tem uma espécie de Axl Rose, um possuído por um espírito tipo a Samara do O Chamado, um homem que se veste de freira e luta com iô-iô, etc., etc.. O elenco é uma das melhores coisas a se falar sobre esse game. Interessante até o talo! E todos tem características únicas no modo de combate e ótimos designs. E o elenco é enorme.

Conclusão – 9,9

GGXX é recomendado a todos os amantes de um bom game de luta, principalmente em 2D, aos amantes de jogos complicados e aos amantes de um bom game em geral. E é um ÓTIMO game para se ter e jogar no seu PC, porque mesmo sendo um jogo de alta qualidade, roda em PC com menores configurações. Até a versão Slash (com o apelão Order Sol) pode ser emulada no PC, a versão da placa de arcade Naomi.

*História do jogo tirada da Wikipedia.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s