Arquivo da categoria ‘Livros’

Hunger Games

Jogos Vorazes (Hunger Games em inglês) é uma trilogia literária bem-sucedida feita pela (também autora de cinema) Suzanne Collins. Os nomes dos livros são, em ordem: Jogos Vorazes (Hunger Games), Em Chamas (Catching Fire) e Esperança (Mockinjay).

É um livro de futuro distópico, em que os Estados Unidos caíram, tendo ascendido em seu lugar uma nova nação, nomeada Panem. Essa nação é constituída de um governo central, o Capitol, e outros 13 distritos. Acontece que os outros distritos são tratados com tirania pelo capitol, e sendo assim o distrito 13, o mais pobre de todos, se revolta. Isso acaba por causar sua destruição e, para marcar esse dia na mente de todos os cidadãos de Panem, o Capitol passa a fazer, anualmente os chamados Jogos Vorazes.

Nesses jogos, duas crianças de no mínimo 12 anos são escolhidas de cada distrito. Um menino e uma menina de cada, num total de 24 tributos, como são chamados os escolhidos. Os nomes são sorteados. E então as crianças vão para uma arena e lutam, sendo que só uma sobreviverá ao final de tudo.

E quando a irmã mais nova de Katniss Everdeen do distrito 12, Primrose, é escolhida, Katniss se voluntaria para ir em seu lugar. Assim começa essa trama muito bem construída.

Katniss é uma personagem forte, inteligente, uma verdadeira lutadora. E como narradora, ela realmente nos liga à trama. São muito interessantes as ligações entre o mundo fictício dos livros e o nosso, e a maneira como as aparências realmente se fazem importantes em cada página, tanto que tudo tem que ser pensado de maneiras práticas e também em como vão parecer, já que os hunger games tem esse aspecto de reality show também. Acaba sendo um pouco de crítica à superficialidade na sociedade.

Sociedade, aliás, é um dos temas principais de toda a obra, com muita política envolvida. E não pense que por que os personagens são tão jovens, são poupados de atrocidades e tragédias, por que elas acontecem a todo momento. Não existe esse limite aqui e isso se prova benéfico ao drama e à narrativa, enquanto que tudo pode acontecer e às  vezes realmente acontece. Às vezes pior do que até mesmo nós podemos imaginar. É uma história bem cruel, ainda mais cruel por acontecer com crianças, muitas deles inocentes vítimas.

Os personagens são, geralmente, bem-construídos, com muitas nuances de personalidade. E também são muito bem estudados e aprofundados. Por mais que os vilões sejam essencialmente maus e maniqueístas, não chega a detrair da experiência.

Experiência essa que cresce a cada novo livro, chegando num terceiro livro tão intenso que às vezes nos perguntamos quão mais longe tudo pode ir. E o livro também tem algumas coisa futurísticas, já que é um livro de futuro hipotético, não poderia deixar de ter tecnologias novas. Mas a autora peca ao descrever esses momentos e fica muito confuso de entender o que diabos está acontecendo em determinados momentos.

Tem tons altamente filosóficos em determinados momentos, bons romances (embora não sejam o foco da narrativa), boas reviravoltas, às vezes te deixa se perguntando o que está acontecendo exatamente (dessa vez no bom sentido) e termina muito bem.

P.S.: Tanto que está virando filme. Para meu desgosto eterno, estão mockinjaymarqueteando JV como o novo Crepúsculo. Isso é o mais completo absurdo, já que Crepúsculo não chega aos pés dessa série em qualidade. E essa trilogia merece muito mais que a maioria todo o sucesso que vem fazendo.

Ah, baixe os livros:

MediaFire; 4Shared

(mais…)

misterios do vampiro sulino

No universo dos livros (que tem uma mitologia muito boa), os japoneses inventaram um sangue sintético destinado a ser usado para transplantes. Com ele, os vampiros passaram a poder viver sem se alimentar de humanos (embora não seja a mesma coisa pra eles). Por isso, revelaram sua existência à humanidade. Muitas pessoas aceitaram eles como parte da sociedade, enquanto outras os querem mortos a qualquer custo. Sookie é uma garçonete telepata que se apaixona pelo vampiro Bill Compton. E a partir daí a vida dela passa a ser uma constante luta pela sobrevivência.

São os melhores livros que eu já li, toda a história é muito bem escrita em primeira pessoa, com muito, mas muito senso de humor. Sookie é uma personagem muito forte, decidida e, principalmente, prática. Os vampiros dos livros são muito interessantes, altamente compulsivos por sangue e sexo (duas coisas que não faltam nos livros. A própria autora confessou numa entrevista que adora escrever cenas de morte.). E além da Sookie aparecem vários outros personagens interessantes como, e principalmente, Eric Northman. A série geralmente foca em um mistério por livro, mas geralmente o mistério principal é bem fraco, acho que a Charlaine não é muito boa no gênero policial. Mas tem muitos outros pequenos mistérios que vão te deixar arrancando os cabelos para saber do que se trata. Isso é muito legal e acontece com freqüência já que constantemente um assunto é adiado por causa de alguma emergência. A autora é muito boa pra escrever as coisas e não fica poupando os personagens nem se censurando, o que ela tiver que escrever, ela escreve mesmo. E a série se torna muito interessante já que tons políticos aparecem mais pra frente e tudo vai se tornando cada vez mais complexo. E como os vampiros agora são públicos, a autora espertamente os usa para fazer alegorias sobre preconceito e outras coisas da sociedade. Além do mais, outros seres sobrenaturais aparecem (lobisomens, por exemplo) e, embora não sejam nem um pouco tão interessantes quanto os vampiros, ainda assim são muito bem feitos. E a escritora consegue fazer tudo ser muito intenso e escrito de forma inteligente, com muita lógica nos acontecimentos. E muitos acontecimentos, reviravoltas, revelações… só que tudo muito coerente. E como os livros são pequenos, dá pra ler rapidamente. Outra característica legal da autora é ajudar o leitor a lembrar das coisas, com comentários (geralmente sarcásticos) da Sookie sobre o que aconteceu anteriormente. Os finais dos livros também são muito bacanas, geralmente contendo um cliffhanger ou algum outro grande momento, mas sempre terminando as tramas criadas no livro. Outra coisa que me faz amar a saga é que é tudo muito diversificado com personagens LGBTT, negros e muito mais. Mas nem tudo são flores. O primeiro livro, Morto Até o Anoitecer, é bem chatinho de ler. O que não é grande problema, porque a série é bem grande e já o segundo livro, Vampiros em Dallas (Vivendo Morto em Dallas seria tradução mais certa), pega fogo!

True Blood: A série baseada na série de livros é muito inferior aos mesmos. Isso porque a Sookie da série é geralmente uma bobona que só sabe gritar e ser vítima, o Bill é um bobão humano demais e o Eric, o melhor personagem dos livros, junto com a Sookie, é totalmente unidimensional. Pra terminar, por ser uma série de TV, e já que o livro é totalmente focado na Sookie, por ser em primeira pessoa, o criador Allan Ball teve que criar histórias para os outros personagens. Só que geralmente essas não interagem com a história principal da temporada (Bill e Sookie) e ainda são muito bobas (principalmente as tramas do Jason (de American Pie/Loucademia de Polícia a pior). E muitas vezes não fitam com o clima da série. Pra terminar, como muita coisa foi mudada dos livros pra série, muitas coisas tem uma resolução pífia. Parece que quem escreveu a série não tem tanta capacidade de criar maneiras imaginativas de resolver os problemas quanto a Charlaine Harris. Também, a mulher é genial! Claro que nem tudo são pedras. Alguns momentos da série são fan-tás-ti-cos. Os momentos sangrentos e/ou sexuais dos vampiros são muito bem feitos. Algumas discussões existenciais que não estão presentes nos livros foram incluídas na série. Outro ponto contra é que, por ser uma série para TV, orçamento limitado, não acontece nenhuma guerra grandiosa e sangrenta como costuma acontecer nos livros. E outro ponto forte da série é a criação da personagem Jéssica.

Ah, baixe os livros:

MediaFire; 4Shared

Meu Livro – Bioslyses

Publicado: 5 de novembro de 2010 em Livros, Sobre Mim
Tags:,

capa

Bioslyses

Eu lancei um livro no site Clube de Autores. É de ficção científica.

Eis o link dele:
http://clubedeautores.com.br/book/40228–Bioslyses

Sinopse:

Uma trama com muitas surpresas, envolvendo mutações genéticas. Num futuro não muito distante, genética se tornou a mais importante das ciências, com uma relevância cada vez maior. Os seres humanos se tornaram aberrações e o mundo está num processo de despoluição que poderá levar séculos. Caio Ektos é um rapaz que foi parar no hospital por um motivo estranho: ele não tinha mais necessidade de se alimentar. Lá, ele vai descobrir seu passado e ser levado numa jornada de descobertas surpreendentes. Misteriosas organizações obscuras nas trevas de informação em que o mundo vive também estarão no caminho do jovem. Organizações como o Senado. O Senado é o órgão que comanda o mundo, com sistemas de desinformação e grandes jogadas. Ele tem controlado realmente tudo. Um controle que pode esconder muitas coisas. Mas Caio também encontrará Eknoa, sua irmã. Ela também não fazia ideia de que tinha um irmão. E ela também tem peculiaridades em sua genética. Caio e Eknoa entrarão em confronto direto com o poderoso Senado, colocando suas vidas em risco por um mundo melhor. E acabarão descobrindo que ninguém sabe como é, de verdade, esse mundo.

Merecemos mesmo ser os donos do mundo?

Ou estamos roubando esse direito de seu possuidor original?

Sobre Livros

Publicado: 29 de outubro de 2009 em Listas, Livros
Tags:, ,

Eu preciso falar sobre livros, já que, provavelmente, no futuro, eu escreverei um.

Vou falar de alguns livros predeterminados.

Livros brasileiros: Ainda não achei nada que valesse muito a pena nesse mercado. Lúcia Machado de Almeida escreveu livros infanto-juvenis bem interessantes. Spharion e O Escaravelho do Diabo sãoos dois que eu já li, mas são juvenis, não é pra ser muito complexo ou interessante mesmo. Apesar de Spharion ter sido muito interessante, duvido que isso se mantivesse hoje. Houve também A Maldição do Tesouro do Faraó, de um tal Sérsi Bardari, que me parece que só lançou esse livro em toda sua vida. Eu me lembro de ser um livro infanto-juvenil muito bom, mas não me lembro dele muito bem. Além disso, tem tambem os livros do Monteiro Lobato do Sítio do Pica-Pau Amarelo, que são muito bons. Marcos Rey também me despertou algm interesse já.

Saga Luz e Escuridão: Muita gente se pergunta pra quê ler quando se pode ver um filme. Oras, quando o filme não é o bastante. E eu gostei tanto do filme Crepúsculo que li não só o primeiro livro, como também Lua Nova, Eclipse e Amanhecer, a série toda, de uma só vez. E lerei O Sol da Meia Noite se for lançado. Literatura romântico-sobrenatual estupenda. Só não agüentei ler o próximo livro de Stephenie Meyer, A Hospedeira.

Dan Brown: Indo contra todas as críticas, os melhores livros que eu já li são os dele. Quer dizer, Fortaleza Digital e Ponto de Impacto são muito fraquinhos, talvez ele só dê conta de se fazer espetacular quando escreve Robert Langdon. Mas com Anjos e Demônios e O Códio DaVinci, principalmente este último, ele me conquistou… e estou no agurado pro O Símbolo Perdido. Eu também achei os filmes legalzinhos.

As Crônicas de Nárnia: Ai, eu acho que só gosto de livros que tem filmes baseados neles… hahaha. Mas eu adorei os livros, todos eles. O Sobrinho do Mago, O Leão; A Feiticeira e o Guarda Roupas; O Cavalo e Seu Menino; Príncipe Caspian; A Viagem do Peregrino da Alvorada; Cadeira de Prata e A Última Batalha. Cada um deles é um clássico!

O Menino do Dedo Verde: Um clássico. TODO MUNDO PRECISA LER!!!!! Urgentemente! Páre de ler esse post e vá ler esse livro de Maurice Druon, depois você volta e comenta o que achou, vai!

Agatha Christie: A Dama Negra da Literatura é uma das minhas autoras favoritas e eu simplesmente adorei Morte no Nilo!

Sortilégio: Um livro de romance desconhecidíssimo, mas que é pra mim, na minha opinião, o melhor livro que eu já li. O livro que eu mais gostei. A autora se chama MAura Seger e o livro é simplesmente demais!

Sidney Sheldon: Ele é outro autor que é sempre perfeito. Todos os livros dele são ótimos, maravilhoso, até hoje não li um livro dele que não me fizesse vibrar de emoção a cada parágrafo.

Oscar Wilde: O livro que eu jpa li dele foi O Retrato de Dorian Gray, que é muito interesstante. Conta uma história interessante e ainda usa de pano pra discutir uma porção de outras coisas. Recomendo.

Poe: Egar Alan Poe é O Escritor de Terror. Ele escreve muito bem!

Clássicos que não consegui ler e não me interesso:
J.R.R. Tolkien: Amei o filme do Senhor dos Anéis, mas achei o livro muito chatinho.
J.K. Rowlings: Não gosto do Harry Potter.
Dostoievski: Até isso eu já tentei ler. Muito chato e difícil de entender.
O Nome da Rosa: O sempre citado clássico de Umberto Eco, pra mim, é uma chatisse e eu não consegui agüentar uma página daquilo.

Livros que ainda pretendo ler:
Morto até o Anoitecer (True Blood) de Charlaine Harris;
algum dos livros do James Rollins;
O Mundo Perdido de Conan Doyle (se eu conseguir achar um dia).

Tem alguns casos peculiares de leitura, como a trilogia Hamson de CS Lewis, que eu li o primeiro e é muito interessante e inteligente, mas à época não se conhecia o universo, portante ele se baseia no que se imaginava sobre os outros planetas. É muito legal, mas é estranho de ler. 20 Mil Léguas Submarinas é um livro muito interessante pelas previsões acertadas de Julio Verne, mas é muito chato, não acontece nada no livro inteiro. Dracula de Bram Stocker é outro livro que é interessante, mas com um estilo de leitura próprio que cansa às vezes. Shakespeare é outro autor que eu entndo pouco, e sinceramente não entendo todo o alarde em cima dele. Paulo Coelho tem uma leitura bem interessante, mas me parece que os livros dele são muito parecidos, e além disso é tudo muito místico.

Agora eu me pergunto: será que vale a pena ler As Crônicas de Spiderwick, Desventuras em Série, Hannibal, Os Sete Signos de Luz, Jurassic Park, A Bússola de Ouro, Brokeback Mountain, O Exorcista, O Diário da Princesa, O Diário de Bridget Jones, etc, etc, quando todos já viraram filmes? Por que o cinema tem essa mania de estragar a graça dos leitores fazendo filmes dos livros?