Posts com Tag ‘filmes’

Filmes Que Deveriam Ser Feitos

Publicado: 30 de dezembro de 2011 em Cinema
Tags:

Metal Gear Solid: Com certeza a trama dos jogos Metal Gear é profunda e cinematográfica e daria certo no cinema. Ainda mais se tivesse o Hideo Kojima no meio. Ou o David Hayter.

Killer Instinct: O jogo da Rare é um jogo de luta, portanto a história é contada de maneira porca. E por isso eu acho que dá pra juntar tudo e ainda usar muita criatividade pra fazer as coisas cronológicas e interessantes. Eu mesmo adoraria fazer esse script.

The Authority: Os heróis mais sem limites (em todos os sentidos inclusive criatividade dos autores) de todos os tempos com certeza poderiam dar o melhor filme de super heróis ever!

Justice League: A Marvel vem vindo aí com os Vingadores. E ela já teve X-Men. E uma das coisas mais bacanas nos quadrinhos da Marvel ou da DC é que os universos delas são todos conectados, algo que não acontece muito nos filmes e, no caso dos super heróis, nunca tinha acontecido antes do megaprojeto da Marvel. O fato é que Batman e Superman são ícones e juntá-los a outros como Mulher Maravilha, Lanterna Verde e Flash poderia dar um filmaço, se fosse bem feito.

The Flash: Porque muitos heróis bem menos importantes do que o Flash já tiveram filme ele, que é um dos pilares da DC, não teve?

Mario: Não me joguem pedras. Não falo de um live-action, mas um filme de animação, estilo Pixar. Poderia definitivamente dar certo. Ou não.

Xenogears: A melhor história que eu já vi. Teria que ser uma adaptação de um mestre tipo o Peter Jackson. Ou então o Christopher Nolan. Até mesmo o Hideaki Anno, diretor de Evangelion, mas não sei se ele faz filmes sem ser de animação. Mas essa história poderia ficar fantástica no cinema. Apesar de #medo, por ser uma obra muito boa e pediria pra ser fenomenal.

Parasite Eve: Jogo baseado em um livro. Tem uma trama excelente. Até mesmo existe um filme japonês baseado no livro. Mas um filme americano poderia muito bem fazer jus a Aya Brea.

Death Note: Embora já exista um projeto que não se sabe se vai acontecer pra um filme americano de DN, e existam filmes japoneses (que são bons)… eu acho que Death Note daria uma ótima série americana. Melhor ainda uma minissérie. Mas como os filmes japoneses deram certo e o anime de DN já tem um clima de thriller americano, eu acho que DN poderia ficar perfeito no cinema. Mas seria melhor se fosse um filme do Davind Fincher.

Desventuras em Série 2: Praticamente impossível, mas o 1º filme misturou vários livros, dando um ritmo muito bom ao filme e adicionando camadas e mais camadas de humor negro. Uma continuação poderia englobar os outros livros. Eu disse que é impossível porque já faz um tempo e as crianças que atuaram no primeiro já devem ter crescido.

Silent Hill: Eu sei, eu sei, já existe, e foi muito, mas muito bem sucedido. Mas ainda assim há certas falhas de julgamento na confecção do filme de SH. No game os monstros e cenários tem total sentido. Isso não acontece muito no filme.

Alone in the Dark: Uwe Boll. Matem. Matem Uwe Boll. Alone in the Dark poderia ter sido um ótimo filme. Eu só joguei o AitD4, e o amei. As referências a Lovecraft e a obsessão da família Morton pelo Mundo das Trevas poderiam render um ótimo filme de terror, ainda mais ambientado na magnífica mansão do jogo.

Evangelion: Não é de hoje que existem boatos sobre um filme live-action americano de Evangelion. Claro, teria que esperar os Rebuild ou os mangás (o que vier primeiro) acabarem pra saber se vão fazer um final digno (finalmente) e copiar. Se não, nem dá pra fazer o filme. Mas um futuro distópico dirigido por Steven Spielberg e/ou Peter Jackson e um auxílio do Hideaki Anno, efeitos especiais nível Weta Digital, orçamento gigantesco e censura alta poderia ficar explêndido! robôs biomecânicos gigantes, anjos, crianças, mortes, fan-service (dispensável)… os Evas poderiam render um filmaço.

Narnia: Os filmes restantes. Porque na minha opinião Narnia é melhor do que Harry Potter e/ou Crepúsculo, e essas foram até o final, então Narnia tem o direito de ir também. E porque as adaptações tem mantido qualidade. E, pensando bem, é bem fácil continuar. Só tem que fazer o Cadeira de Prata logo, porque senão o ator que fez o Eustáquio em A Viagem do Peregrino da Alvorada vai crescer demais. A Última Batalha não precisa ser feito. Os 4 reis (Pedro, Susana, Edmundo e Lúcia) aparecem em O Cavalo e Seu Menino, mas me parece que podem ser uma versão não tão velha como no final do primeiro livro, mas adulta, portanto podem ser atores diferentes. E a Jadis, a Imperatriz Branca, aparece em O Sobrinho do Mago, mas como essa trama é um prequel, não existe pressão caso, eventualmente, a Tild Swinton venha a falecer. Pode-se colocar outra atriz no lugar. É isso. Narnia devia continuar.

Anúncios

Mortal Kombat: Apesar do relativamente baixo orçamento, a trama do filme, baseada integralmente na do primeiro game, foi muito melhor do que de costume. Também teve lutas interessantes (é baseado num jogo de luta) e maneiras interessantes e criativas de incorporar os ingredientes dos games no filme. Além de Christopher Lambert no elenco, os outros também são bacanas. As caracterizações são boas e só em alguns momentos os FX ficam toscos (isso é um elogio). Eu sou adepto dessa ideia de fazer um filme exatamente com a mesma história do game e de fazer um filme baseado em um só game . E sou mais adepto ainda de adaptar filmes de jogos de luta. Isso porque, de todos os estilos de jogo, os de luta são os que tem menos foco na história e ela é menos contada, logo é mais interessante para a equipe de produção preencher e fazer uma trama onde antes havia só uma colcha de retalhos. E Mortal Kombat tem o que é uma das melhores e mais interessantes tramas do mundo dos games (ou potencial para isso). E esse filme, baseado no primeiro e o game com a história mais simples, fez isso muito bem.

Final Fantasy 7 Advent Children: Também sou muito adepto de fazer um filme-continuação de um game, se encaixando na linha histórica. Mas pra isso tem que ter a equipe original, pelo menos o criador original, trabalhando junto com os cineastas. Aliás, eu acho que toda adaptação deveria ter como consultor o criador da franquia original. Final Fantasy não é um filme de verdade (é uma animação), mas é muito bem feito e merece estar na lista. Ele não é nem sequer um “menos pior”, mas é um dos melhores mesmo. Tem uma boa trama (apesar de ser feita para os fãs do 7º FF, tem boas cenas e aspectos técnicos impecáveis.

Final Fantasy The Spirits Within: Esse filme foi muito criticado por não ter nada em comum com nenhum dos games da série. Mas nenhum dos games da série tem nada a ver um com o outro. São fan-bases diferentes e seria um tiro no próprio pé escolher um dos games pra fazer um filme. Então fizeram um filme completamente original. Ficou muito bacana. Tem uma trama boa, ação, bons personagens e gráficos incríveis (técnicamente mais incríveis que os de Advent Children, mas esteticamente inferiores).

DOA Dead or Alive: Serei crucificado por incluir este filme na lista. Mas eu gostei. Fui jogar o game e descobri que grande parte da (ínfima) storyline do jogo está lá no filme. E o filme tem uma estética muito bacana. Apesar de um horrível conceito girl-power, não chega a estragar a película. Além do mais, as caracterizações estão boas, as lutas estão soberbas e tudo tem um ótimo ritmo. E vários detalhes do game foram adaptados às telonas de forma dinâmica.

Prince of Persia: Bem mais ou menos. Mas realmente adaptou muito do que os games tem de maneira relativamente satisfatória, e isso vale para os fãs. Não é um bom filme, mas é uma boa adaptação.

Resident Evil: Sim, mas só, apenas, somente o primeiro filme. Porque eu acho que dá pra encaixar ele na cronologia REviliana, já que ele pode se passar homologamente ao 1º game e terminar no começo do 2º game. Além do mais, tem alguns momentos de tensão (embora tenha predominância de ação) e um pouco de terror. E até que tem uma história aceitável.

Tekken: Outro exemplo de péssimo filme, mas boa adaptação. Apesar de que tem erros horríveis até mesmo nesse quesito. Yoshimitsu, por exemplo. Na verdade, só as lutas e caracterizações se salvam nesse “filme”.

Tomb Raider: O primeiro filme de Lara Croft (vivida por Angelina Jolie) nos cinemas foi interessante. Não fez nada além de bem à imagem da arqueóloga e foi, no geral, um bom filme-pipoca.

Silent Hill: Essa não é das menos piores, é A Melhor Adaptação de Game para Fime. Ficou muito bom. Eu não botava fé nessa! Para mim, o que a Konami fez com o primeiro Silent Hill foi um milagre impossível de ser repetido. A Konami ter conseguido fazer isso de novo com os próximos SH me deixou estupefatíssimo! Mas tudo bem, pelo menos eram o time original. Agora outra pessoa fazer isso, definitivamente era improvável, mas Roger Avary e Christopher Gans conseguiram!  Fizeram uma adaptação da trama do primeiro Silent Hill, mas incluíram elementos do segundo e até do terceiro jogo para tornar a coisa mais cinematográfica. Eu acho válido, já que eles estão fazendo um filme, tem mais que valorizar o produto ao máximo mesmo. Muito do game foi adaptado ao filme e os realizadores se mostraram absolutamente conhecedores da linguagem do cinema, adaptando coisas (como Harry se tornar Rose, por exemplo). Por fim, toda a estética do filme se manteve e ainda chamaram o inigualável Akira Yamaoka (o original dos games) para compor os sons do filme. Muito bom! E ainda tiveram a coragem de não fazer um filme completamente comercial e deixar o final bem ao estilo Silent Hill. Eu aplaudo de pé a Konami por ter sabido dar os direitos de sua série para alguém que realmente sabia o que fazer com eles no cinema. O elenco, apesar de desconhecido, também brilha. Só teve dois pequenos problemas. Um é que, pelo alto número de mulheres no filme, a produtora exigiu a existência do personagem Chris. E, apesar de eu não ter achado particularmente ruim, houve pessoas que reclamaram. Eu não sei como ficaria claro para o público a ideia de realidades alternativas sem a cena de Rose e Chris na escola. O outro é que o filme não faz algo que os games fazem, que é ligar os visuais e modos de agir dos monstros e locais com a psique de algum personagem, fazendo ter significados mais profundos para o terror. Era algo que eu gostaria de ter visto. Mesmo é um filme altamente recomendado para os fãs de SH, fãs de terror e fãs de bons filmes. Só recomendo que fujam da continuação, Revelação, filme horrível.

Algumas dicas de filmes

Publicado: 28 de janeiro de 2011 em Listas
Tags:, ,

Alguns filmes. Não vou listar muitos. São só algumas dicas, alguns exemplos. Também, tem tanto, mas tanto filme… que fica difícil!

Miss Simpatia (Miss Cogeniality): Um filme de comédia muito bom com a talentosa Sandra Bullock. É mais um daqueles filmes de mulher feia ficando bonita, mas mesmo assim é completamente diferente de qualquer outro filme desse assunto, porque mostra visões que diferem das comumentes vistas em filmes desse tipo. E é muito engraçado.

Trilogia O Senhor dos Anéis (The Lord of the Rings): Obrigatório a todo amante de cinema, a cinesérie é um fantástico mundo de fantasia baseado fielmente na mitologia Tolkeniana! E, mais que isso, um blockbuster gigantesco.

Terror em Silent Hill: O prefixo titular Terror fica por conta do povo brasileiro, mesmo. Baseado no game de mesmo nome, o filme conseguiu, incrivelmente, passar toda a marca de horror psicológico da série para as telas, sem se perder em simplificações e hollywoodices pastel.

O Chamado: É um filme interessante, com um clima misterioso e inexplicado, que realmente provoca muito suspense.

O Quarto do Pânico: Apesar de alguns clichês no final, é um suspense de primeira.

Final Fantasy 7 Advent Children: Um filme em CG que é só para os fãs da série Final Fantasy e, mais especificamente, da sétima versão da série. Mas muito bem feito em todos os quesitos, com lutas fantásticas. Um filme digno da Square.

Pânico na Floresta: Que é o mais básico que um filme de terror tem a oferecer. Mas tudo que se propõe a fazer, esse filme faz com mérito.

Abismo do Medo: Que é um filme de terror muito bem feito. Muito acima da média. E a continuação conseguiu manter a excelência.

DOA – Dead or Alive: A grande maioria das pessoas do mundo odiou esse filme. Eu adorei! Achei ele muito divertido. Gostei das lutas e do feeling geral passado por ele. E, sinceramente, depois de ter jogado DoA, não vi tanta diferença assim do game pro filme não.

Quarteto Fantástico: Simplesmente por ter sido o melhor filme de super heróis que eu já vi. Foi o que mais me cativou nessa onda atual.

O Código da Vinci: Sim, serei apedrejado em praça pública por Rubens Ewald Filho e/ou José Wilker. Tudo menos isso! Drama Maria-do-Bairriano à parte, eu gostei da adaptação cinematográfica da obra de Dan Brown pelas mãos do competente Ron Howard e com atuação do Tom Hanks como o fantástico personagem Robert Langdon. Claro que poderia ter sido bem melhor,  inclusive poderia ter aparado algumas arestas mais do livro e alguns absurdos (eu sinto que algumas coisas foram consertadas), mas nada de mais. E também, pelo caráter turístico da obra, bem que poderia ser um pouco mais colorido e mostrar mais a beleza das locações. Mas fora isso, foram competentes em sintetizar em algumas horas um livro.

Tá bom, acho que já chega. Foi uma boa pequena (ínfima) lista. E… fui!