Posts com Tag ‘lista’

Dicas de Séries Animadas para Assistir

Publicado: 25 de outubro de 2012 em Animês, Séries, Top/Listas
Tags:,

Correndo o risco de parecer convencido, ele é eu gostaria de usar esse blog nesse momento para indicar algumas deixa eu adivinhar? séries  séries  animadas animadas eu disse! redundante da porra! que eu acho muito boas e eu gosto de pênis? se mostrar? cantar Calypso? ajudar as pessoas a encontrar certas pérolas, eu decidi descer do seu pedestal e nos iluminar com sua sabedoria, ó senhor? criar esse post. E sem mais delongas  e bizarrices bipolares, vamos à lista: idiota

young-justice*Young Justice (Justiça Jovem): Série animada dos sidekicks da DC Comics, muito boa por sinal. Apresentando uma jovem liga de super heróis, mas muitas ligações com seus correspondentes adultos. A trama é muito intrigante, as cenas de ação são arrasadoras e definitivamente vale muito a pena. DC Animation, também… sempre apresenta muita qualidade.



page0_blog_entry10_1

justice_league*Justice League e *Justice League: Unlimited: A série animada da Liga da  Justiça, aclamadíssima, espetacularmente escrita e dirigida, obrigatória. Sem mais.



 Zeta_Project_CartoonProjeto Zeta: Outra série do antigo Universo Animado DC (DCAU), conta uma história de um robô criado para matar chamado Zeta que se une a uma jovem moça. Ele não queria mais matar, mas passa a ser perseguido por que ninguém acredita nele. Acham que ele foi reprogramado por alguém. Então ele sai em busca de seu criador e de provas de que ele desenvolveu uma consciência.



Avatar-The-Legend-Of-Aang-PS2[1] NICKELODEON THE LAST AIRBENDERAvatar: A Lenda de Aang e Avatar: A Lenda de Korra: O mundo apresentado  em Avatar é um mundo que, por si só, já é motivo de ele estar na lista. A animação fluida é só mais um motivo. E a trama interessante é ainda outra.



105_655273f_deathnote43m_6e7c011*Death Note: O anime que, já resenhado aqui num dos primeiros posts do blog, conta a história do jovem Light Yagami. Ele encontra um caderno em que quem tiver seu nome escrito, morre. E ele decide mudar o mundo matando os criminosos, só que as coisas começam a dar errado quando o maior detetive do mundo sai em seu encalço. Uma trama de suspense muito boa.



eclipse-fullmetal-alchemist-brotherhood-02-xvid-3d3d891101718519-42-22*Fullmetal Alchemist: Bortherhood: Num mundo em que alquimia é um fato, uma magia em que tudo pode ser conseguido se algo de igual valor for dado em troca, os irmãos Edward e Alphose Elric tentam fazer uma transmutação humana em sua mãe (ressuscitá-la). Nisso, as duas crianças perdem partes de seus corpos, Ed perde um braço e Al perde o corpo todo. Para salvar o irmão, Ed sacrifica uma perna para prender a alma dele a uma armadura que estava ali por perto. Alguns anos depois, quando Ed passou a usar automails (partes do corpo biônicas), ambos partem em uma busca por um objeto chamado Pedra Filosofal, que os permitirá retornar a seus corpos. Um anime muito bom de luta.



super2 Legion of Super Heroes: Mesmo sendo um pouco infantil, as ligações com a linha de heróis da editora DC dão muito valor ao produto. Adiciona-se a isso cenas de ação supremas também, e temos uma animação que vale a pena, principalmente para as crianças (que creio serem o público-alvo mesmo). A trama é sobre o futuro do Universo DC, mais especificamente o século 31, e a organização de heróis que dá nome ao cartoon.



x-men-evolution X-Men: Evolution: Muitos fãs torcem a cara para essa animação ao saberem que se trata da juventude dos X-Men, e perdem muito por que é muito bem escrito e um ótimo desenho de super heróis.



0fd_ecdcd675b3*Spiderman: The Animated Series: O melhor desenho de super heróis da Marvel (ainda não tão bom quanto nenhum da DC), apresenta muitas coisas do gibi em formato televisivo com qualidade muito alta, tanto que durou várias temporadas.



Green-Lantern-The-Animated-Series Green Lantern: The Animated Series: Essa eu tinha um pé atrás antes de assistir, pelo tipo da animação (3D). Mas me surpreendi (muito) positivamente. Definitivamente uma das melhores.



star-wars-the-clone-wars-obi-wan-kenobi Star Wars: The Clone Wars: Eu (ainda?) não sou um fã de Star Wars, mas com uma animação tão bom a e bem escrita, nem precisa ser pra gostar.



batman-beyond*Batman Beyond/Batman of the Future: Animação do Batman do Futuro, apresenta, numa visão de futuro muito interessante, seus textos ricos e complexos.



cast Batman: The Brave and the Bold: Sempre trazendo participações especiais de outros heróis, B&B sempre manteve as características principais de todos que eram ap-resentados e em histórias muito boas de se ver.



*Code GeassCode Geass R2: O anime conta a história de Lelouch, que ganha um poder que permite que ele mande qualquer pessoas fazer qualquer coisa (mas tem outras regras). Com esse controle absoluto, ele decide libertar seu país (o Japão) que está sendo controlado pelo império da Britannia. Isso por que se passa num futuro hipotético. A trama é muito boa e cheia de reviravoltas e surpresas bem construídas, principalmente na segunda temporada (R2).



PSYCHO-PASS.full.1310887Psycho-Pass: No futuro, os policiais usam uma arma denominada Dominator, capaz de ler na mente das pessoas a predisposição deles para crimes e, assim, crimes são evitados antes mesmo de acontecerem. Mas… bem, acho que é só isso que eu posso contar dessa incrível trama de sci-fi, só adianto que tem um “mas”. Um grande “mas”.



Outras séries: Teen Titans; Static Shock; Himitsu – The Revelation.

Filmes em Animação: Batman- Year One; Batman- Under the Red Hood; Batman- The Dark Knight Returns Part 1 e Part 2; All-Star Superman; Batman Beyond/Batman of the Future; Resident Evil- Degeneration e Damnation; Final Fantasy 7- Advent Children; Wonder Woman; Rebuild of Evangelion 1, 2, 3 e 4; Justice League – Doom; Justice League – Crisis on two Earths.

P.S.: Eu não pretendo deixar de atualizar esta lista, portanto assim que eu conhecer mais coisas pra colocar nela, estar atualizando.

Vadia do inferno! Quem pediu sua opinião?!

Porquê todo mundo é tão negativo? Sério, a maioria das coisas que eu leio é destacando o lado negativo das coisas. Eu queria eu mesmo ser imparcial. Mas eu sei que eu só falo das coisas boas, porque só falo das coisas de que gosto. Posso até passar pelas coisas ruins, mas elas são tão pequenas comparadas com as boas. E, sinceramente, é assim nos jogos de Sonic. As pessoas parecem nem pensar um pouco e analisar antes de criticar. Vamos ver algumas críticas sobre novos games de Sonic e comparar com os antigos.

Modernização

Existem muitas críticas na net contra Sonic em cidades e etc.. Inclusive críticas aos Adventure, que na época que saiu foi super aclamado. Mas nos antigos jogos de Sonic, ele andava em fábricas, cassinos, bases militares. Isso é urbano, então não é novo o Sonic correr por cidades.

Humanos

Também se tem criticado muito os humanos em aparições no mundo de Sonic. Elise, por exemplo. Mas Robotnik é humano. E ele é um dos personagens mais principais de todos. Por quê ele seria o único humano existente em todo o mundo? Além do mais, o ambiente urbano permite a existência de humanos no universo do blue blur.

Sonic fala!

O que realmente não tinha nos jogos clássicos. Exceto o que parece ser um “bubble” que Sonic fala ao pegar uma bolha nas fases aquáticas. Mas jogos 3D pedem vozes, praticamente, ainda mais na geração atual. Mario passou a ter vozes e ninguém nunca achou ruim. O problema real é as vozes não darem certo, serem mal sincronizadas ou a dublagem ser ruim. E é óbvio que, se os animais fazem aeroplanos, se tornam amigos uns dos outros e um ouriço é heróis, que esses personagens tem que falar. Podia ser só uns textinhos, mas com vozes fica mais completo.

Tamanho

Isso nem de longe é um ponto negativo. Um zilhão de vezes um game perfeito de 3 fases do que um quase bom de 254. Eu acho que grande culpa do Sonic ter jogos ruins vem da Sega tentar aumentar o tamanho dos jogos, porque hoje em dia o povo tá viciado em jogos grandes que demoram 3 anos, 4 meses, 455 dias, 1 hora e 2 minutos pra ser completados! Os antigos jogos de Sonic eram curtos.

Excesso de Personagens

Nos antigos jogos, cada um deles trouxe um personagem diferente. Primeiro o Sonic e o Robotnik e só. Depois o Tails (e o Metal Sonic), depois o Knuckles, depois a Amy. Só o Adventure que trouxe um pouco mais. Tá, era uma progressão pequena no número de personagens. Mas ainda assim sempre tinham personagens novos. E talvez esse aumento cada vez maior nessa progressão seja, exatamente, pra aumentar o tamanho dos jogos.

Excesso de comandos

Essa crítica eu não li em quase lugar nenhum. Ela é mais minha mesmo. Porque eu acho a série Rush muito, mas MUITO cheia de comandos. Cada jogo clássico do Sonic tinha uma inovação. O Spin Dash no 2. As bolhas com poderes no 3 (e o voo e o nado do Tails). Knuckles e todos os seus poderes no Sonic & Knuckles. E no Adventure teve o Homing Attack. E depois, a partir de level ups, Sonic ganhava o Light Dash que anda por argolas e o destrutivo. Bem, mais comandos não tem nada de ruin, desde que o jogo mantenha um desafio, facilidade de manuseio e diversão.

Câmera

Jogos antigos não tinham câmeras. Era bem mais fácil utilizar-se do personagem neles. Mas eu até acho que, dada a velocidade do Sonic, aliada a complexidade dos cenários, a câmera e todo o sistema de todos os jogos do Sonic são perfeitos e fenomenais! Porque é quase impossível acertar 100%. Ao contrário de quase todo mundo, eu nunca tive problema nenhum com a câmera dos Sonics 3D. Sonic é um jogo de corrida com muito mais complexidade e misturado com plataformas e ação. É um conceito que alia alta velocidade e complexidade e que deve ser muito trabalhoso. Eu acho que o Sonic Team fez foi milagre com o Sonic em 3D. E eu acho Sonic Adventure e o Heroes jogos muito melhores do que o aclamado Mario 64. Gosto de linearidade.

Linearidade

Nos jogos antigos você podia fazer o quê de mais? Backtracking? Na maioria das vezes você só podia voltar um pouquinho pra trás, só nas primeiras fases do Sonic 1 você podia voltar a fase toda. Vários caminhos pra se chegar ao final da fase e isso tem nos Sonics 3D. agora escolher pra onde vai nunca foi algo existente nos jogos Sonic. E a tentativa de adicionar isso resultou nas horrendas Adventure Fields, que quebram o ritmo do jogo.

Tem correria demais!

Em parte eu posso até concordar. Sonic deveria unir velocidade e plataforma, e não separar o game em partes de plataforma e partes de velocidade. Correr enquanto pula nas plataformas e mata badnicks. É esse o estilo do ouriço. Pra falar a verdade, no começo eu nem sabia dessa história do Sonic ser rápido. Só sabia que era um ótimo platformer diferente dos demais. Faz poucos anos que eu descobri que ele era veloz, coisa e tal, pelo que li na internet. Mas, sinceramente, eu não vejo um excesso de velocidade em nenhum dos games do Sonic.

É fácil demais

Não posso dizer nada quanto a isso, porque eu gosto de jogos fáceis. Mas eu acho que tem bastante dificuldade nos Sonics 3D com relação às quedas.

Design do Sonic

Sério, gente? Se você ver os três primeiros Sonics, em cada um os personagens estão de um jeito. Sempre há evolução no design dos personagens. Mario, Crash, qualquer personagem evolui pra se adequar à época, à medida que o estilo do personagem vai ficando cada vez mais sólido. Além do mais, 3D é uma abordagem diferente, que merece uma cara diferente.

Level desgin

Concordo plenamente. Design das fases é a alma do negócio. Tem que valorizar os personagens e gimmicks. Minha maior reclamação é com as fases de Cassino. Credo, o que fizeram com aquilo! No Mega Drive, todas as fases eram de plataforma. Não tinha uma única fase que destoasse do conjunto. Mas nos Sonic 3D adicionaram partes de aventura sem plataformices e pinball, que deveria ser um jogo separado ou mini-game extra, mas nunca vir no meio e cortar a ação do game, e ainda sendo obrigatório. Pra mim, o ÚNICO erro dos jogos de Sonic em 3D.

Músicas

Tá certo, as músicas dos antigos eram perfeitas. Não ligo muito pra músicas, mas pra mim rock combina com o estilo edgy e cool do personagem.

E só apertar pra frente e pronto

Mesmo nos jogos antigos tinham longas seções automáticas. É só exibicionismo. Mas ainda assim tem muitas partes em que você tem o total controle. E é certeza de que só apertando pra frente você morrerá.

História

Esse é um ponto complicado, de várias faces e diferentes visões. Por isso vou começar falando dos clássicos, quase sem história. Mas eles tinham uma trama, contada nos manuais de instruções. Mas in-game, a primeira vez que Sonic teve uma história aparente foi no Sonic 3 & Knuckles. Era bem simples. Então história é algo completamente desnecessário nesses jogos. Rogo que pulemos todas as cenas dos jogos do Sonic e nos foquemos só no gameplay. Porque Sonic é pra crianças também, então a história vai ser bobinha mesmo.

MELHORES JOGOS (Entre os que eu joguei)

12º Sonic Generations – Generations não é ainda um ressurgimento do Sonic por não ter um fator exploração bem implementado. Não que precisasse, mas é um elemento a mais (e um que S3&K tem de sobra) e, além disso, exploração é encorajada no Generations, através das estrelas vermelhas e caminhos alternativos. A falha está no fato de que, a despeito desse encorajamento, o jogo não parece ter sido feito com exploração em mento, com uma câmera restritiva, excesso de molas propulsoras e dashpads te empurrando pra frente, etc, etc. Desse modo, é como se o jogo estivesse brigando consigo mesmo. Ainda assim, é o melhor jogo 3D do Sonic (mas o Adventure tinha exploração melhor). Vale mencionar que considero o Generations um jogo mais 2D do que 3D (assim como o Colors), já que ambas as partes 2D (classic e modern) são as melhores partes do jogo, com mais profundidade, desafio e complexidade.

sonic.gen.05.lg

Prós: Nostalgia

Contras: Não é perfeito

11º Sonic the Hedgehog 4 Episode 2 – O episódio 2 de Sonic 4 faz muitas coisas certas, muitas delas a primeira parte já havia feito, mas também houve grandes melhorias, como gráficos e física. O jogo funciona muito bem, apesar de não trazer praticamente nada de novo. Ainda assim, ele traz técnicas de dupla com o Tails e alguns gimmicks em fases específicas.

ss_03_ep2

Prós: A física funcional

Contras: Falta de originalidade

10º Sonic Colors DS – pela volta em grande estilo

Sonic-Colours-DS-screen-8-1st-Aug

Prós: Jogabilidade Sonic!

Contras: A tela pequena do Ds não combina com o jogo.

Sonic CD – por ser bem clássico num gráfico meio novo


Prós: Viagem no tempo nas fases

Contras: Fases esquisitas mal-conceitualizadas

Sonic Heroes – jogar em trio não tem preço

Sonic_heroes_pc_35

Prós: Jogar em trio.

Contras: Casino e Bingo. São CHAAAAAAAAAATOS!

Sonic Colors – diferente, mas bom

sonic-colors-screens

Prós: Novidades refrescantes sem perder a identidade

Contras: Em 2D você faz plataformas, em 3D você corre. Os estilos de jogo são muito separados e isso depõe contra a coesão do jogo.

Sonic Adventure DX – pela revolução

Prós: Boa jogabilidade com Sonic nos action stages.

Contras: Adventure Fields são um pouco chatos e a Casino também. E as Sky Chase são inúteis.

Sonic the Hedgehog 2 – seqüência perfeita, fases temáticas e spin dash

Prós: Spin dash; mais zones, de 2 atos apenas.

Contras: Nenhum.

4º Sonic the Hedgehog – o início de tudo

Prós: Jogabilida intuitivíssima

Contras: Nada

Sonic and Knuckles – Knuckles e gráficos liiiindos

Prós: Knukles

Contras: Nada

Sonic the Hedgehog 3 – muito mais habilidades, fases complexas e saves

Prós: Poderes novos, saves e etc.

Contras: Nada

Sonic 3 and Knukles – S&K + Sonic 3!

Prós: Tudo

Contras: Nada

E vocês, leitores, que acham?

(mais…)

Série Final Fantasy. Uma luta com um dragão. É esse tipo de grandiosidade e qualidade épica que se vê nos três games da série principal no PSX: 7, 8 e 9. O 7 é um clássico absoluto, com uma história interessante e emocionante. O 8 tem talvez os melhores gráficos do Play1, com uma história também muito bem trabalhada. E o 9 traz a nostalgia da volta ao passado.

Soul Edge/Soul Blade. Lutas com espadas e muitos efeitos especiais. O efeito de rastro das armas brancas é um luxo! Eu considero esse o melhor game de lutas 3D do Play. Ele tem uns golpes interessantes, gráficos totalmente 3D (não aquele fundo de papelão do Tekken no PS). E também tem personagens muito bacanas de se jogar. Além disso, tem um modo com missões especiais pra destravar novas armas. É muito bom.

 

Alone in the Dark 4- The New Nightmare. Um bom jogo de luzes e sombras. Uma história profunda e obscura explicada magistralmente nos documentos encontrados na mansão Morton, envolvendo ambição desmedida e abusos de ciência e poder. Dois personagens com jogos realmente paralelos (não como em RE2, mas paralelos mesmo). Um ótimo survival horror!

 

Silent Hill. Prepare-se para o bizarro, para estar em lugares inimagináveis. Para o terror. Se utilizando de idéias muito interessantes pra escapulir das limitações do hardware do PS1, a Konami trouxe um jogo de terror psicológico (o 1º deles) e com uma sonoridade perfeita criada por Akira Yamaoka. Silent Hill é um título único e recomendadíssimo.

 

Metal Gear Solid. Furtividade. Foi isso que Metal Gear Solid trouxe para os games. Se esconder atrás das coisas, não ser visto… apesar disso, tem muita ação. Gráficos que são muito bons (até mesmo acima do que se pensava que o PSX podia ir) e uma trama inteligentíssima completam a grande obra de Hideo Kojima e da, sempre competente, Konami. Perfeito.

 

Parasite Eve. Um jogo de terror chique. Com forte elemento de RPG. E uma trama muito, muito boa. E jogabilidade original. E o début de Aya Brea nos games. A série Parasite Eve sempre foi muito boa, e os dois primeiros games foram no 32-bit da Sony. Os gráficos são bem legais, apresentando locações da vida real (em Nova York), com uma trilha envolvente também.

 

Série The King of Fighters’. Lutas ferozes e estilosas em 2D. Personagens icônicos. A série KOF trouxe tudo que a SNK sempre fez de melhor, principalmente nas iterações de 97, 98 e 99. Gráficos que, para a capacidade 2D do PS, eram estupendos. Jogabilidade perfeita. Muita ação. Sonoridade bem trabalhada. Enfim, um dos melhores games da biblioteca!

 

Castlevania- Symphony of the Night. Grandiosidade gótica em 2D. Os sprites animados estavam com tudo e mostraram o maior potencial do PSX em 2D com o novo Castlevania, que é por muitos considerado o melhor de toda a série. Cheio de opções, um castelo enooooorme e cheio de segredos, jogabilidades bem variadas. A  Konami (sempre ela) foi pefeita! Koji Igarashi é um mestre!

 

Legacy of Kain Soul Reaver. Gráficos full 3D e vampiros e mosntros. O novo game da saga LoK, o 1º da saga Soul Reaver, um game ótimo em muitos aspectos importantes. Embora tenha um uso excessivo das caixas, o personagem é praticamente um empilhador. Mas tem lances extremamente interessantes na jogabilidade desse game que o diferem de qualquer outro. Muita aventura!

 

Dino Crisis 2. Você com armas preso em uma selva com dinossauros. O que poderia ser mais interessante num game de ação em 3ª pessoa? Melhorando sobre o 1º DC em todos os aspectos, DC2 se tornou um clássico e um dos melhores gráficos do Play1. A Capcom fez um game que finalmente se diferiu do resto, apesar da premissa de jogo de horror. É um jogo que merece ser jogado por qualquer um.

 

Série Resident Evil. Cenários em destruição e aparente calmaria e perigo iminente. O título que redefiniu o gênero survival horror, criado por Alone in the Dark.  RE1 é puro terror. O 2 injetou boas doses de ação, seguidas e aumentadas exponencialmente pelo 3. Uma série que merece ser jogada do começo ao fim e que, até aqui, tinah uma das melhores histórias continuadas entre todos os jogos de videogame.

 

Série Crash bandicoot. Plataformas em seu ápice. Um jogo estiloso, com características únicas muito interessantes. Um game no mesmo nível dos clássicos Sonic e Mario. Só que em 3D. Tem uma linearidade que é uma coisa muito, muito, muito boa! E do 1 ao 3 cresceu de uma maneira estupenda, mantendo suas particularidades. Um ótimo game para toda a família.

 

Bomberman Fantasy Racing. Correr sobre bichinhos fofinhos não tm preço. Yoshi que o diga! Também não tem preço tascar bombas nos seus concorrentes.  Esse é um game para ser jogado por todos também, com corrida e muita ação e variedade, ainda mais no modo de 2 jogadores um contra o outro! Um ótimo jogo de corrida, mesmo para quem não gosta do gênero.

 

Xenogears. Um game especificamente bom por causa da sua história. Não que o resto não seja bom, mas à medida que a a história se torna mais proeminente, todos os outros elementos vão sendo deixados de lado. Ou seja, só para os amantes de uma boa (fantástica, a melhor) história. Quem é capaz de jogar um game pela sua trama. Xenogears, nesse caso, não é recomendado, é necessário.

Eu sei que é muita pretensão fazer um top de jogos do Mario. Mas é só a minha opinião, e eu acho interessantes listas (eu sei, todo mundo é fã delas), ainda mais rankings e tops. E, digo mais, só existem 4 jogos classificados pra essa lista. Polêmica à vista. Mas polêmica é uma maneira divertida de levar as coisas. Vamos ao 4º colocado (ah, não falei? Sim, é do menos perfeito até o mais que perfeito!).

P.S.: Eu vou atualizando a lista conforme for jogando mais jogos do encanador, ok? Ok, então.

5º LUGAR – Super Mario World 2 Yoshi’s Island (Super Nintendo)

Ficou no último lugar do pódio porque não é um game muito assim do Mario. Ele é bem mais focado no Yoshi. Mas tá na série Mario, então mereceu estar na lista. Além disso, ele é tão bom no geral como game, funciona de uma maneira tão interessante sempre que é impossível não gostar desse game. Fora que, relativamente, esse é talvez o game de mario que mais foi impressionante visualmente, por apresentar um conceito visual e uma execução e qualidade técnica muito além de qualquer expectativa que pudesse ser tida na época.

super-mario-galaxy 2

4º LUGAR – Super Mario Galaxy 2 (Wii)

Mario em 3D em alto estilo, com muita originalidade e grandiosidade. Embora às vezes pareça um jogo composto de mini-games conectados. Mas, entretanto, porém, você percebe muitos laços com a jogabilidade clássica do Mario, inclusive coisas que há muito estavam meio que deixadas de lado pela Nintendo na série. O jogo é muito bacana, gráficos incríveis, os melhores gráficos em um jogo do Mario ever. Mas uma coisa me irrita nesses Mario 3D que é o fato de que terminar uma fase não te dá direito a uma fase nova, diretamente, como em muitos outros jogos da franquia. Colecionar estrelas pra simplesmente avançar no jogo é meio que um saco. Tirando isso, pode-se considerar esse um jogo perfeito. Muito difícil, mas uma dificuldade justa.

3º LUGAR – Super Mario Brothers 3 (Nintendinho)

Mario Bros. 3 estaria no topo do top de uma grande quantidade de gamers. E ele merece. Ele já era tudo de bom no Nes/Nintendinho 8-bits. No Super Nintendo as melhorias gráficas deixaram ele ainda melhor. Juntando tudo, eu acho ele o melhor entre os melhores, isolado no primeiro lugar dos primeiros jogos da geração 8-bits, com uma distância considerável de qualquer possível segundo lugar. E é um jogo muito, muito, muito difícil. Mas, ainda assim, eu acho que o conjunto da obra perde para os dois próximos colocados.

new-super-mario-bros-wii-coins-artwork

2º LUGAR – New Super Mario Brothers Wii (Nintendo Wii)

Eu sei que é uma colocação polêmica. Afinal, é um game de uma nova geração sendo colocado acima de games clássicos. Mas eu acho que as pessoas tem um fanatismo exagerado por retro-games. E, sinceramente, New Mario Bros. Wii é um game fantástico, com uma qualidade que, mesmo Mario tendo sido sempre Mario, não se via nos games da série por muito tempo. Na época dos 8 e 16 bits havia muitas coisas que os sistemas de videogame não podiam fazer. Era jogar com as impossibilidades para os programadores de jogos. Hoje em dia é muito mais difícil, porque é jogar com as possibilidades. É escolher entre uma gama infinita de opções. E dessa gama infinita de opções, Shigeru Miyamoto e sua equipe simplesmente optaram por fazer na série “New” tudo o que nunca poderiam ter feito naquela época passada. E na segunda edição do game, a do Wii, isso tudo chegou a seu ápice, com muita criatividade. Também, o multiplayer chegou arrasando na série Mario. Assim, fizeram um game grandiosamente fantástico e cheio de variedade e idéias geniais.

1º LUGAR – Super Mario World (Super Nintendo)

Não poderia ser outro. Quer dizer, muitos adoram Mario 64, por exemplo, e o colocariam em 1º, mas eu acho aquele game uma droga horrível e irreciclável. Questão de heresia opinião. Super Mario World tem todas as qualidades que qualquer outro game da série Mario tem. Só que, no conjunto da obra, tudo se encaixa de maneira soberba e um pouco superior aos outros games. Simplesmente é um game que não conseguiu ser imitado ou ultrapassado até hoje. E que a passagem do tempo não tira nem um milímetro da atualidade e qualidade dele. Até Miyamoto acha que o World é o melhor. Mas quem sabe num futuro ele não venha a ser ultrapassado ou, pelo menos, igualado.

É isso. E a opinião de vocês?

new-super-mario-bros-u-5

Revelação Bombástica: O Nintendo 64 tem Jogos Bons!

Quem diria, não é? Sim, eu estou brincando. Fãs do console, não me matem. O N64 foi um grande console, o segundo melhor de sua geração, e o que tinha os melhores gráficos puramente 3D (e portanto seus jogos full 3D (sem cenários renderizados e sprites) envelheceram melhor).

Eu tenho uma lista com minha opinião de quais games do N64 merecem ser jogados. Depois eu vou querer a sua opinião sobre isso, caro (a) leitor (a). A lista.

Primeiro um game que eu acho que é muito interessante e diversificado. Que é Diddy Kong Racing. Um game desses de corrida maluca, só que com os mais variados veículos e fases que você já viu.

Outro jogo bem diversificado do 64bits da Nintendo é Kirby 64, o jogo da bola rosa é muito diversificado em seu core, na sua mais profunda base de criação. Desde que foi criado, pouquíssimos games diveram uma jogabilidade tão diversificada quanto o rosáceo.

E o próximo jogo não é um só, mas uma série, lançada pela Midway, que é puro Arcade-like. Cruisn’, representada por Cruisn’ USA, Cruisn’ Exotica e Cruisn’ World, os três sendo divertidos jogos de corrida só por diversão adaptados de populares máquinas de Arcade.

E os dois que são os maiores e com certeza os melhores games do 64 não podiam faltar, claro. The Legendo f Zelda Ocarina of Time e The Legendo of Zelda Majora’s Mask são soberbos. Tem um zilhão e meio de coisas pra fazer e, absurdamente incrível, TODAS tem uma jogabilidade e utilidade excepcional! Embora eu ache eles overrated, não dá pra negar que pelo menos o Ocarina teve um grande impacto na indústria gamística e mudou um pouco o modo como os jogos eram feitos.

E em termos de qualidade, eu acho que Perfect Dark está num nível igual à série Zelda, só que no gênero tiro em primeira pessoa, que eu nem gosto muito. Mas eu gostei, sim de Perfect Dark. É muito bom, com certeza.

E ainda no gênero do tiro em primeira pessoa, uma subcategoria desse gênero são os on-rails, ou em trilhas, aqueles em que você é empurrado. E nesses com certeza um dos melhores é Sin and Punishment – Successor to the Earth que, embora seja desconhecido e não-traduzido, se mostrou extremamente empolgante.

Mas não tão empolgante quanto o divertidíssimo jogo sério de corrida Ridge Racer 64, que com certeza é um dos melhores jogos de corrida já feitos, por jamais deixar de lado a diversão com clima de realidade.

Clima de realidade que não precisava estar presente para o excelente F-Zero X ser um dos melhores entre os melhores também.

E continuando no gênero corrida, nunca poderíamos esquecer Beetle Adventure Racing, a corrida de fuscas mais divertida ever!

Ou o divertidíssimo e clássico Mario Kart 64, game que honra com louvor o nome do poderoso Mario.

Outro personagem que era poderoso na época era o Rayman, de Rayman 2 The Last Escape, jogo no qual ele brilhava e que era um dos melhores platformers da época. E ainda é.

Mas entre os melhores da época, mesmo tentando algumas vezes, o último console de mesa de cartucho nunca conseguiu ter um jogo de luta bom. O mais próximo que chegou disso foi com Killer Instinct Gold, que, apesar de ser muito capado da versão Arcade, ainda era um ótimo fighting game, fruto da parceria com a Rare.

Que era uma ótima empresa de games. E outra ótima empresa de games é a Treasure, que criou Mischief Makers para o N64, que é um joguinho original e muito bom de jogar, embora difícil em algumas partes. Shake, shake, shake é inesquecível!

E inesquecível também é o port de um game do porte de Resident Evil 2 para um simples cartucho. Digno de nota, com certeza.

E, com um game surpreendente desses, eu termino os trabalhos desse post. Qual a opinião de vocês?

Algumas dicas de filmes

Publicado: 28 de janeiro de 2011 em Listas
Tags:, ,

Alguns filmes. Não vou listar muitos. São só algumas dicas, alguns exemplos. Também, tem tanto, mas tanto filme… que fica difícil!

Miss Simpatia (Miss Cogeniality): Um filme de comédia muito bom com a talentosa Sandra Bullock. É mais um daqueles filmes de mulher feia ficando bonita, mas mesmo assim é completamente diferente de qualquer outro filme desse assunto, porque mostra visões que diferem das comumentes vistas em filmes desse tipo. E é muito engraçado.

Trilogia O Senhor dos Anéis (The Lord of the Rings): Obrigatório a todo amante de cinema, a cinesérie é um fantástico mundo de fantasia baseado fielmente na mitologia Tolkeniana! E, mais que isso, um blockbuster gigantesco.

Terror em Silent Hill: O prefixo titular Terror fica por conta do povo brasileiro, mesmo. Baseado no game de mesmo nome, o filme conseguiu, incrivelmente, passar toda a marca de horror psicológico da série para as telas, sem se perder em simplificações e hollywoodices pastel.

O Chamado: É um filme interessante, com um clima misterioso e inexplicado, que realmente provoca muito suspense.

O Quarto do Pânico: Apesar de alguns clichês no final, é um suspense de primeira.

Final Fantasy 7 Advent Children: Um filme em CG que é só para os fãs da série Final Fantasy e, mais especificamente, da sétima versão da série. Mas muito bem feito em todos os quesitos, com lutas fantásticas. Um filme digno da Square.

Pânico na Floresta: Que é o mais básico que um filme de terror tem a oferecer. Mas tudo que se propõe a fazer, esse filme faz com mérito.

Abismo do Medo: Que é um filme de terror muito bem feito. Muito acima da média. E a continuação conseguiu manter a excelência.

DOA – Dead or Alive: A grande maioria das pessoas do mundo odiou esse filme. Eu adorei! Achei ele muito divertido. Gostei das lutas e do feeling geral passado por ele. E, sinceramente, depois de ter jogado DoA, não vi tanta diferença assim do game pro filme não.

Quarteto Fantástico: Simplesmente por ter sido o melhor filme de super heróis que eu já vi. Foi o que mais me cativou nessa onda atual.

O Código da Vinci: Sim, serei apedrejado em praça pública por Rubens Ewald Filho e/ou José Wilker. Tudo menos isso! Drama Maria-do-Bairriano à parte, eu gostei da adaptação cinematográfica da obra de Dan Brown pelas mãos do competente Ron Howard e com atuação do Tom Hanks como o fantástico personagem Robert Langdon. Claro que poderia ter sido bem melhor,  inclusive poderia ter aparado algumas arestas mais do livro e alguns absurdos (eu sinto que algumas coisas foram consertadas), mas nada de mais. E também, pelo caráter turístico da obra, bem que poderia ser um pouco mais colorido e mostrar mais a beleza das locações. Mas fora isso, foram competentes em sintetizar em algumas horas um livro.

Tá bom, acho que já chega. Foi uma boa pequena (ínfima) lista. E… fui!

Ótimos games para jogar no seu Super Nintendo (ou emulador Zsnes)…:

Super Nintendo/Snes/Super Famicon foi um console muito importante e um dos dois mais populares da áurea era 16-bits. E marcou a infância (e mais que isso) de muitas pessoas. Por isso resolvi fazer um set-list de melhores entre os melhores games do console. Não são muitos que podem ser encaixados nessa categoria, é verdade, mas ainda assim, há games fantásticos na caixa cinza da Big N. Chega de papo e vamos à lista:

super_mario_worldSuper Mario World: Que não poderia deixar de faltar. O game perfeito. Com certeza o melhor jogo do Snes.

Killer Instinct: Luta com muita qualidade. Elementos de Street Fighter e de Mortal Kombat e elementos novos únicos. Um clima próprio. Um jogaço, muito bem portado dos Arcades para o Snes!

Super Mario All-Stars: Que vale por causa do Super Mario Bros. 3 , que é um jogo fantástico, e aqui está com gráficos melhorados!

Chrono Trigger: Que é capaz de fazer qualquer pessoa gostar dele, mesmo as que não gostam de RPG. E, melhor de tudo, ele é EQUILIBRADO em dificuldade. Não é a doideira louca impossível que TODOS os outros RPGs existentes são.

Super Mario World 2 Yoshi’s Island: Mesmo tendo muito pouco a ver com SMW, é um ótimo jogo, com sacadas geniais. E, também, é um dos jogos que ficariam em 1º lugar em qualquer lista de melhores jogos tecnicamente no Snes. Tá certo que o estilo gráfico faz todas as fases parecerem mais iguais do que elas são de verdade… mas ainda assim é um jogo irrepreensível.

Série Top Gear: Os três jogos da série de corrida da Kemco para o Snes são soberbos. Citando: Top Gear, Top Gear 2 e Top Gear 3000. Se você gosta de corrida, deveria conhecer esses clássicos.

Star Ocean, Tales of Phantasia e Final Fantasy 6: Star Ocean e Tales of saíram para Snes só no Japão, mas já foram traduzidos por grupos de tradução. Final Fantasy 6 foi lançado no ocidente como Final Fantasy 3. Para os amantes de RPG, são um prato cheio (e difícil). SO tem um estilo de batalha que é, dependendo do modo como você joga: ou complexo-demais-você-nunca-vai usar-todas-as-opções-e-entender-tudo, ou simples-demais:-aperte-um-botão-repetidamente. ToP apresenta o estupendo Linear Motion Battle system, que é muito legal e interessante, embora tenha sido utilizado em demasia, pelo excesso de batalhas aleatórias. E Final Fantasy 6 é o básico do básico, mas tem o toque da Square transformando ideias simples em geniais.

Série Donkey Kong Country: A trilogia simian da Rare, em parceria com a Nintendo, é um ótimo jogo de aventura, nos moldes e qualidade da série Mario. E, ainda, inclui na jogabilidade o elemento cooperação de uma maneira muito interessante.

Sunset Riders: Um ótimo jogo de tiro com um tema pouco comum: velho oeste. É interessante e bem concebido.

Kirby Super Star: Um jogo incrível, maravilhoso, estupendo, tudo de bom! Na verdade, tem mais de um jogo no cartucho e todos eles são demais!

Final Fantasy 5: Que é um jogo muito muito muito bom (embora difícil no mesmo nível e enoooooooooooooooorme)! Adicionou o interessantíssimo e super funcional Job System… enfim… é Final Fantasy, falar mais o quê?

Série Mortal Kombat: Dispensa apresentações. MK 1, 2, 3 e Ultimate.

Demon’s Crest: Um ótimo jogo de aventura criado pela poderosa Capcom.

International Superstar Soccer Deluxe: Para quem gosta de futebol. Ouvi dizer que é muito bom. Eu não gosto de futebol, não posso falar muito.

Speedy Gonzalez: Neste game foi baseado o horrendo hack de Sonic 4 para Snes. Mas o jogo original é bom.

Biker Mice from mars: Corridas loucas e que diferem do comum até mesmo em jogos de corridas loucas.

Terranigma: Para os amantes de um bom jogo de RPG/ação, Terranigma é um prato cheio.

Série Street Fighter: Dispensa apresentações. Street Fighter 2 Turbo e Super Street Fighter 2.

Série Megaman X: O robôzinho azul da Capcom brilhou muito no console da Nintendo com suas plataformas difíceis e jogabilidade genial.

Super Metroid: Eu não gosto desse jogo, mas não posso negar sua importância e que ele funciona muito bem.

Firemen: Um jogo diferente em que você controla bombeiros e simplesmente pela sua originalidade já vale a pena.

Prehistorik Man: Um ótimo platformer com tema pré-histórico e gráficos bonitos.

Knights of the Round: Port do arcade de hack’n slash medieval da Capcom.

Captain Commando: Outro beat’em up da Capcom.

Ninja Warriors: Ainda outro excelente beat’em up.

Série Seiken Densetsu/Secret of Mana: Absurdamente incríveis jogos de RPG/ação da Square para SN.

Outros jogos dignos de se dar uma olhada são Metal Warriors, Gundam Endless Duel, Super Turrican e Super Turrican 2, Final Fight 3Aventures of Batman and Robin e Front Mission Gun Hazard. Clássicos do SN ainda incluem Goof TroopSuper PangSide Pocket.

Sobre Livros

Publicado: 29 de outubro de 2009 em Listas, Livros
Tags:, ,

Eu preciso falar sobre livros, já que, provavelmente, no futuro, eu escreverei um.

Vou falar de alguns livros predeterminados.

Livros brasileiros: Ainda não achei nada que valesse muito a pena nesse mercado. Lúcia Machado de Almeida escreveu livros infanto-juvenis bem interessantes. Spharion e O Escaravelho do Diabo sãoos dois que eu já li, mas são juvenis, não é pra ser muito complexo ou interessante mesmo. Apesar de Spharion ter sido muito interessante, duvido que isso se mantivesse hoje. Houve também A Maldição do Tesouro do Faraó, de um tal Sérsi Bardari, que me parece que só lançou esse livro em toda sua vida. Eu me lembro de ser um livro infanto-juvenil muito bom, mas não me lembro dele muito bem. Além disso, tem tambem os livros do Monteiro Lobato do Sítio do Pica-Pau Amarelo, que são muito bons. Marcos Rey também me despertou algm interesse já.

Saga Luz e Escuridão: Muita gente se pergunta pra quê ler quando se pode ver um filme. Oras, quando o filme não é o bastante. E eu gostei tanto do filme Crepúsculo que li não só o primeiro livro, como também Lua Nova, Eclipse e Amanhecer, a série toda, de uma só vez. E lerei O Sol da Meia Noite se for lançado. Literatura romântico-sobrenatual estupenda. Só não agüentei ler o próximo livro de Stephenie Meyer, A Hospedeira.

Dan Brown: Indo contra todas as críticas, os melhores livros que eu já li são os dele. Quer dizer, Fortaleza Digital e Ponto de Impacto são muito fraquinhos, talvez ele só dê conta de se fazer espetacular quando escreve Robert Langdon. Mas com Anjos e Demônios e O Códio DaVinci, principalmente este último, ele me conquistou… e estou no agurado pro O Símbolo Perdido. Eu também achei os filmes legalzinhos.

As Crônicas de Nárnia: Ai, eu acho que só gosto de livros que tem filmes baseados neles… hahaha. Mas eu adorei os livros, todos eles. O Sobrinho do Mago, O Leão; A Feiticeira e o Guarda Roupas; O Cavalo e Seu Menino; Príncipe Caspian; A Viagem do Peregrino da Alvorada; Cadeira de Prata e A Última Batalha. Cada um deles é um clássico!

O Menino do Dedo Verde: Um clássico. TODO MUNDO PRECISA LER!!!!! Urgentemente! Páre de ler esse post e vá ler esse livro de Maurice Druon, depois você volta e comenta o que achou, vai!

Agatha Christie: A Dama Negra da Literatura é uma das minhas autoras favoritas e eu simplesmente adorei Morte no Nilo!

Sortilégio: Um livro de romance desconhecidíssimo, mas que é pra mim, na minha opinião, o melhor livro que eu já li. O livro que eu mais gostei. A autora se chama MAura Seger e o livro é simplesmente demais!

Sidney Sheldon: Ele é outro autor que é sempre perfeito. Todos os livros dele são ótimos, maravilhoso, até hoje não li um livro dele que não me fizesse vibrar de emoção a cada parágrafo.

Oscar Wilde: O livro que eu jpa li dele foi O Retrato de Dorian Gray, que é muito interesstante. Conta uma história interessante e ainda usa de pano pra discutir uma porção de outras coisas. Recomendo.

Poe: Egar Alan Poe é O Escritor de Terror. Ele escreve muito bem!

Clássicos que não consegui ler e não me interesso:
J.R.R. Tolkien: Amei o filme do Senhor dos Anéis, mas achei o livro muito chatinho.
J.K. Rowlings: Não gosto do Harry Potter.
Dostoievski: Até isso eu já tentei ler. Muito chato e difícil de entender.
O Nome da Rosa: O sempre citado clássico de Umberto Eco, pra mim, é uma chatisse e eu não consegui agüentar uma página daquilo.

Livros que ainda pretendo ler:
Morto até o Anoitecer (True Blood) de Charlaine Harris;
algum dos livros do James Rollins;
O Mundo Perdido de Conan Doyle (se eu conseguir achar um dia).

Tem alguns casos peculiares de leitura, como a trilogia Hamson de CS Lewis, que eu li o primeiro e é muito interessante e inteligente, mas à época não se conhecia o universo, portante ele se baseia no que se imaginava sobre os outros planetas. É muito legal, mas é estranho de ler. 20 Mil Léguas Submarinas é um livro muito interessante pelas previsões acertadas de Julio Verne, mas é muito chato, não acontece nada no livro inteiro. Dracula de Bram Stocker é outro livro que é interessante, mas com um estilo de leitura próprio que cansa às vezes. Shakespeare é outro autor que eu entndo pouco, e sinceramente não entendo todo o alarde em cima dele. Paulo Coelho tem uma leitura bem interessante, mas me parece que os livros dele são muito parecidos, e além disso é tudo muito místico.

Agora eu me pergunto: será que vale a pena ler As Crônicas de Spiderwick, Desventuras em Série, Hannibal, Os Sete Signos de Luz, Jurassic Park, A Bússola de Ouro, Brokeback Mountain, O Exorcista, O Diário da Princesa, O Diário de Bridget Jones, etc, etc, quando todos já viraram filmes? Por que o cinema tem essa mania de estragar a graça dos leitores fazendo filmes dos livros?

Auto-Marketing

Publicado: 14 de outubro de 2009 em Sobre Mim
Tags:, , , ,

Eu escrevo, além de poemas/poeais, histórias em prosa. Só que elas são longas demais pra serem postas aqui. Então vou colocar só uns trechos e descrições delas e link para elas em outro site.

Chutes da Vida
Um pequeno texto sobre mãe solteira. Coisa pequenina, mesmo.

Chama Alada

Distraído com essa conversa, ele esbarra em um garçom. Se olham nos olhos e Vini desvia como qualquer tímido faria. Mas o garçom estava com uma bandeja e a deixou cair.
Vini, como bom moço, o ajuda a catar os cacos e restos.
Vini: _ Nossa, que ótimo começo, Vini, já entra no bar vazio trombando com as pessoas!
O moço se apresenta: _ Melhor você parar de falar sozinho, já que você não está sozinho. Meu nome é Fabrício.
Se dão as mãos.
Vini olhando o chão: _ Eu te atrapalho, te ajudo, você me faz uma crítica construtiva… dois a um, ainda te devo uma.
Fabrício olha a cara dele, pegando ainda um caco no chão, para se abaixar, para olhá-lo: _ Tem certeza que não saiu de seu rumo procurando um convento?

O Fantasma da Casa
Uma comédia muito doidaaaaaa.

_ Diva. Eu morri aqui. Sou uma assombração. Mas não qualquer uma, eu sou uma aparição ectoplásmica de classe. Que tal? _
Marih: _ Que mais poderia dar errado? Eu to presa numa casa com um espírito chamada Diva que é mau-humorada, verborrágica e gorda. _
Diva brava: _ Mau humorada é a mãe e… gorda, você acha? _ Fica fininha.
Marih: _ Não acredito que estou conversando com uma espírita louca e intocável. Eu vou dormir. _
Sobe para o quarto. Deita na cama e vai dormir. Diva atravessa a parede e fala: _ Mas você acabou de acordar. _