Posts com Tag ‘re’

Resident Evil – antes e o agora

Publicado: 9 de novembro de 2011 em Games, Review
Tags:, , , ,

resident evil 4 remakeÂngulos de Câmera

Isso é uma mudança muito grande que ocorreu na série. E que tirou muito da cinematografia que era parte importante do jogo, sem ganhar nada em troca (além de tornar o jogo ainda mais parecido com um shooter).

Com isso vem o fato de que RE4 (em diante) não tem mira automática, coisa que RE sempre teve. Portanto, RE não tinha muito de jogo de tiro, agora É um jogo PURAMENTE de tiro. Então é óbvio que pessoas que não gostam de jogos de tiro, fãs ou não de Resident, vão ter um motivo pra desgostar dos novos REs.

Locação

Antigamente havia uma predominância de locações fechadas. Isso gerava certa claustrofobia, novamente parte importante da série. Hoje em dia, a maior parte do tempo você está em lugares abertos, tornando tudo ainda mais parecido com um jogo de guerra. Fora que, se antes os locais eram belos e interessantes, hoje a maioria é feio e sem graça e parecido mesmo com qualquer lugar aleatório encontrado em jogo de guerra genérico. Nada mais de laboratórios ducaráiovéi da Umbrella (uma das desvantagens de destruir a empresa, que era praticamente sinônimo de RE. Acabar com a vilã no meio do andamento de uma coisa é um problema grave, né?). Isso sem contar a familiaridade que os cenários tinham antes. É uma das coisas que se faz pra assustar, pegar um lugar que é confortável pra transformar em um lugar ameaçador (vide o quarto de Silent Hill 4 (boa idéia péssimamente utilizada)). Em tem ainda toda a desorganização que era muita (desde RE2) ou pouca (RE1), mas sempre esteve ali, pra dar um sinal de que algo não estava certo. RE perdeu grandes oportunidades de ser perturbador.

Realidade

resident evil 4 resident evil 3

a menor inverossimilidade de RE4 é tipo, mais que a maior de RE3

RE sempre teve uma relação de muita proximidade com a realidade. Essa é uma base muito sentida por qualquer gamer em qualquer momento dos jogos anteriores. Pelo menos, era assim até o Code: Veronica. Mas desde do 4º game que os personagens são lutadores tipo Matrix. Corta qualquer link com a realidade, é farsesco demais. RE4 começou de um jeito, se distanciou demais de RE, a Capcom transformou em Devil May Cry e reiniciou RE4. Eu acho que devia ter lançado como outro jogo de novo e reiniciado RE4 de novo. Sério, ninguém iria fazer nenhuma ligação de RE4 com a série Resident, se não fossem os nomes dados ao game e aos personagens. Tudo bem que é mais realista lutar contra os inimigos, mas RE3 fez isso bem com esquivas e Outbreak fez bem com alguns golpes. Tá certo que eles são militares, mas não precisa dar saltos de 74 metros e atirar facas com precisão de satélite.

Inimigos

zumbis vs ganados

Muito criticada a troca de zumbis por ganados e majinis. Mas eu não acho assim tão diferente não. Só que zumbis tem um valor icônico muito grande, sendo valorizados já pelo cinema. Trocar zumbis por monstros genéricos quaisquer que podem ser encontrados em qualquer Doom da vida é… estranho. Eu acho que nosso subconsciente deve ligar zumbis com a morte e com outros seres humanos, duas coisas a se temer. Além disso, morrer sendo comido deve ser muito horrível e doloroso. Mais do que isso, a quietude deles torna eles o desconhecido, que é um outro medo. Fora a aparência deles, um dos melhores character designs ever! Além do mais eles não pensam, logo não dá pra conversar com eles, negociar, simplesmente não tem saída a não ser lutar. Agora, quanto mais os inimigos pensam, mais se tem a sensação de que as coisas não estão tão ruins assim. Até mesmo diminui a sensação de solidão e desamparo (destruída de vez com a vinda de co-op). Nos novos RE, os inimigos fazem o jogo ainda mais um jogo de guerra, lutando contra outros humanos para sobreviver. E não mais com os misteriosos e icônicos zumbis.

Trama

A trama de RE4 é, basicamente, inexistente. Pífia. A de RE5, que deveria ser o desfecho do grande arco que começou com RE1, decepcionou. E apesar de que o único jogo que tem uma grande história por si só seja o RE2 (e em menor escala o Code: Veronica), RE tem uma grande história como série. Mas RE4 pouco se conecta com essa trama. E agora a Capcom vem falando em começar um novo arco, depois de ter terminado o anterior no 5!? PERIGO NISSO!

Desconhecido

Parece-me bem claro que transformar o mundo num palco de ameaças biológicas é um grande grande risco. Em RE1, 2, 3 e Code Veronica os personagens foram arrastados acidentalmente e sem-querer para o meio do horror, se assustando com o escopo dele. Talvez por isso a série deva continuar investindo em personagens novos, como sempre fez aliás. Mas se os horrores biológicos são conhecidos, se os personagens se voluntariam a lutar contra eles, isso faz com que você seja um valentão, que as coisas então não são tão ruins assim. E o constante clima de “isso aqui é uma piada” de qualquer cena dos jogos atuais, com os personagens não ligando pra nada, apesar de ser um clima altamente ‘cool’, a constância quebra qualquer tensão que o jogo pudesse ter. Isso, aliado ao quanto os personagens são ‘Batman’. Só pra lembrar: Os personagens se machucavam e se tornavam lentos nos primeiros jogos. Leon foi baleado e desmaiou no 2. Eles não eram essa potência toda não. De-repente eles são o Dante dos monstros.

Monstruosidades

william birkin e o ogro

Que se tornaram muito, mas muito bestas. Cadê as coisas nojentas e ASSIMÉTRICAS dos jogos anteriores. Agora eles são todos bonitinhos, como se fossem a coisa mais natural do mundo. E é claro que são, já que não são criações científicas doidas e sim uma coisa que já existia na natureza (plagas), criada por Deus mesmo, algo assim. Pra exemplificar, temos um grande ORC no RE4!!! Um desses Tolkenianos, sabe, essa coisa de Terra Média/Shrek. Coisa de jogo medieval mesmo.

Puzzles

quebra-cabeças resident evil

resident evil puzzles

RE era baseado em lutar pela sobrevivência e resolver puzzles. Os puzzles eram realmente desafiadores, embora muito sem lógica (isso eles mantém). Mas principalmente, eram puzzles muito bacanas. Creio eu que o fator quebra-cabeça foi diminuído em prol de diminuir o backtracking. E eu posso ser crucificado por isso, mas eu preferia ter backtrack pra poder ter uma experiência mais profunda/variada.

 

Eu não estou dizendo que RE4 não é bom, longe disso, ele é PERFEITO. Só não é um Resident Evil. A Capcom bem que podia dividir RE nessas duas vertentes. Eu não acredito que não vou ver um Resident Evil como os do PSOne (e o Remake, o 0 e o Code Verônica) com os gráficos atuais!!!

P.S.: Talvez a Capcom deva seguir os rumos Dead-Space…

dead spaceAliás, parece até que já está seguindo, com o Resident Evil Revelations.

RE revelations

re1Resident Evil: O game que iniciou tudo. Obviamente, é o que tem os gráficos menos bons, mas ainda assim, são ótimos. A mansão é, ainda hoje, soberba, lindíssima. Ele tem a jogabilidade perfeita RE, apesar de ser a mais travada da série. Tem sonoridade ótima também, geradora de suspense. Aliás, é o jogo que tem mais suspense entre todos os jogos da série Resident Evil, aliás, ele é o jogo que tem o clima mais denso e, portanto, é o melhor Resident Evil como jogo de terror entre todos os da série. A trama é simples, mas eficiente, apesar dos clichês. No geral, um ótimo jogo e um começo perfeito para uma série. Um verdadeiro clássico e uma obra-prima.

 

Resident Evil 2: Outra obra-prima, é o jogo que tem a melhor trama de toda a série, devido a seus inúmeros personagens. Eu, particularmente, considero Resident Evil uma das melhores histórias continuadas de games. Porque geralmente quando a história de uma game é boa, ela é única daquele jogo e não uma saga. Os gráficos melhoraram bastante do primeiro para o segundo, a jogabilidade teve leves melhoras. A sonoridade continua matadora. Muitas novas coisas foram inseridas, tornando o jogo menos climático e mais ação. Concluindo: em alguns pontos foi um passo atrás e em outros um avanço em relação ao primeiro game, mas de fato continua sendo um jogão.

 

Resident Evil 3: O jogo que trouxe mais inovações até agora. Apesar de haver pouca melhoria nos gráficos, o que não ruim, pois já eram ótimos. Os sons também continuam sendo envolventes, como sempre. A localidade do jogo é a cidade, o que dá mais variedade. E o aspecto que mais evoluiu foi a jogabilidade. Pra começar, te deram pólvoras e a opção de misturá-las pra fazer munição. Além disso, tem as Live Selections, opções de caminho a seguir. O próprio Nemesis é um elemento importantíssimo do jogo, te perseguindo, abrindo portas e atirando de bazuka. Só que o principal novo atrativo é a esquiva. Automática e divertidíssima (apesar de facilitar demais um jogo já fácil), ela é ótima. Outra coisa muito importante adicionada, e que tornou os jogos mais antigos um pouco defasados só por ter sido inventada, é a virada rápida de 180 °. A trama segue eventos antes e depois do 2, embora seja mais rasa, é interessante. O único problema maior de RE3 é que ele é curto.

 

Resident Evil Survivor: A primeira iteração em primeira pessoa da série é o único entre os RE 1st person que presta! Tem o clima do RE2, uma história clichê boa e uma jogabilidade digna. E tem mó clima.

 

 

Resident Evil 4: Apesar de ser o pior de todos os RE em todos os termos exceto a jogabilidade, ele é um jogaço. E mesmo com todas as mudanças drásticas feitas, ainda mantém várias características da série: puzzles estilo sem nexo típicos de RE, calmaria bucólica, até a jogabilidade de pra cima vai pra frente e pros lados vira forever foi mantida! Apesar de que a câmera mudou completamente (tirando um pouco a cinematografia) e fica só atrás do personagem (parece jogo de tiro/guerra). Mas tirando isso, ficou ótimo, muito parecido com Super Mario (em termos de jogabilidade). Eu achei. Me deixa.

Resident Evil Code Veronica:

Tem a tensão toda do Resident Evil 1 com a ação frenética dos títulos posteriores e continua a história da série, com ganchos incríveis no final. Também tem algumas inovações gráficas bacanas e muita cinematografia. Só senti falta da esquiva implementada no 3. Os gráficos estão um pouco ‘lavados’, por ser o primeiro RE totalmente em 3D, e não cenários pré-renderizados, como os antigos. Entretanto, esses gráficos 3D permitem que a câmera tenha um pouco de movimentação, deixando as cenas mais dinâmicas. Embora esse recurso tenha sido pouco utilizado.

Outbreak 2Resident Evil Outbreak File #2: Vou pular o primeiro Outbreak porque prefiro fazer uma lista só dos jogos que eu conheci dessa série que valem a pena. E o primeiro Outbreak é complicado, lastimável e injogável. Consertaram tudo na sequência e fizeram um jogo que, no mínimo, é divertido. Incluíram um tutorial no início do jogo e tornaram a jogabilidade offline mais divertida e menos mal-feita. Adicionaram boas novas áreas e agora dá pra selecionar onde começa o jogo e, principalmente, com que personagens jogar.

Resident Evil 0: Sem dúvida nenhuma um dos melhores jogos da série, e um exemplo de um bom Resident e de uma boa evolução. O jogo mais revolucionário de toda a franquia. RE1 e 2 experimentaram ter dois personagens diferentes para controlar, mas o 0 é o ápice disso. Nele, controlamos dois personagens ao mesmo tempo, com habilidades diferentes e puzzles feitos especialmente para utilizar-se dessa dualidade. re0Além do mais, há a novidade de se poder colocar e pegar os itens em qualquer lugar (mostra no mapa onde os deixou), tornando os baús obsoletos. Nada mais de precisar voltar atéeeee um baú só pra poder pegar algo que precisa. O jogo ficou muito mais dinâmico. E os gráficos estão fenomenais. A história é muito boa, as pessoas a subestimam pelo elemento bizarrice, mas eu acho que a bizarrice, quando bem utilizada, eleva o terror, e eu acho que ela foi bem utilizada, tanto aqui quanto no Code Veronica. Além de ter achado a história boa, também achei que ela foi bem contada, na verdade é o melhor storytelling que eu já vi em um RE, as cenas são fenomenais. O problema é a escassez delas nas primeiras horas do título. O jogo pega fogo em seus momentos finais, que estão cheios de surpresas (algumas nostálgicas), o ritmo no final é muito bom. Antes dos momentos finais, nem tanto. Também achei ótima a adição dos zumbis leechers, eles são ótimos. A sonoridade do jogo, como de toda a série, é absurdamente boa. A jogabilidade é ótima, apesar dos puzzles estarem mais fracos do que de costume nas primeiras horas de jogatina (melhoram depois, também). Achei o level design incrível, também. Para finalizar, o game peca no quesito horror. Jogar de dupla tira o suspense dos cenários, isso fica bem visível nas partes em que se controla um dos personagens separadamente.

REmakeResident Evil Remake: Da série “clássica”, esse é o RE de que eu menos gostei. O que significa que só achei o RE4 pior do que ele (depois do 4 nem conta mais, pras mim). Não é um jogo ruim, longe disso, ele é excelente. Só que eu me decepcionei. Acredito que não tenham conseguido usar o fator nostalgia bem, e também que exageraram na ambientação. Também percebo que o jogo foi consideravelmente aumentado pelas áreas e puzzles novos, mas a quantidade e colocação dos baús não me pareceu a ideal. Enfim, o level-design não me pareceu tão inspirado. Mas o que realmente fala contra o jogo é que ele é pior do que o jogo no qual se baseou, e nem consegue ser bom por si mesmo. Ele é muito parecido, também, com RE0, apesar de ter saído antes dele. Ambos estavam em produção ao mesmo tempo. Sendo objetivo e não me apegando a datas, RE0, que tem um estilo visual muito parecido e uma jogabilidade mais moderna, é o melhor dos dois. Mas não estou aqui pra fazer comparações. Só esperava que o jogo fosse melhor do que um jogo lançado a mais de dez anos atrás (o RE1 original), mas o RE1 original é MUITO superior, pelo menos na minha opinião. O que não tira os méritos do Remake. A ambientação é muito bonita e variada, e as cores são vibrantes. Além do mais, eu gostei da ideia das armas de defesa e dos puzzles e acontecimentos novos (e de algumas pequenas mudanças nos antigos). No geral, um bom jogo.