Posts com Tag ‘sin and punishment’

Revelação Bombástica: O Nintendo 64 tem Jogos Bons!

Quem diria, não é? Sim, eu estou brincando. Fãs do console, não me matem. O N64 foi um grande console, o segundo melhor de sua geração, e o que tinha os melhores gráficos puramente 3D (e portanto seus jogos full 3D (sem cenários renderizados e sprites) envelheceram melhor).

Eu tenho uma lista com minha opinião de quais games do N64 merecem ser jogados. Depois eu vou querer a sua opinião sobre isso, caro (a) leitor (a). A lista.

Primeiro um game que eu acho que é muito interessante e diversificado. Que é Diddy Kong Racing. Um game desses de corrida maluca, só que com os mais variados veículos e fases que você já viu.

Outro jogo bem diversificado do 64bits da Nintendo é Kirby 64, o jogo da bola rosa é muito diversificado em seu core, na sua mais profunda base de criação. Desde que foi criado, pouquíssimos games diveram uma jogabilidade tão diversificada quanto o rosáceo.

E o próximo jogo não é um só, mas uma série, lançada pela Midway, que é puro Arcade-like. Cruisn’, representada por Cruisn’ USA, Cruisn’ Exotica e Cruisn’ World, os três sendo divertidos jogos de corrida só por diversão adaptados de populares máquinas de Arcade.

E os dois que são os maiores e com certeza os melhores games do 64 não podiam faltar, claro. The Legendo f Zelda Ocarina of Time e The Legendo of Zelda Majora’s Mask são soberbos. Tem um zilhão e meio de coisas pra fazer e, absurdamente incrível, TODAS tem uma jogabilidade e utilidade excepcional! Embora eu ache eles overrated, não dá pra negar que pelo menos o Ocarina teve um grande impacto na indústria gamística e mudou um pouco o modo como os jogos eram feitos.

E em termos de qualidade, eu acho que Perfect Dark está num nível igual à série Zelda, só que no gênero tiro em primeira pessoa, que eu nem gosto muito. Mas eu gostei, sim de Perfect Dark. É muito bom, com certeza.

E ainda no gênero do tiro em primeira pessoa, uma subcategoria desse gênero são os on-rails, ou em trilhas, aqueles em que você é empurrado. E nesses com certeza um dos melhores é Sin and Punishment – Successor to the Earth que, embora seja desconhecido e não-traduzido, se mostrou extremamente empolgante.

Mas não tão empolgante quanto o divertidíssimo jogo sério de corrida Ridge Racer 64, que com certeza é um dos melhores jogos de corrida já feitos, por jamais deixar de lado a diversão com clima de realidade.

Clima de realidade que não precisava estar presente para o excelente F-Zero X ser um dos melhores entre os melhores também.

E continuando no gênero corrida, nunca poderíamos esquecer Beetle Adventure Racing, a corrida de fuscas mais divertida ever!

Ou o divertidíssimo e clássico Mario Kart 64, game que honra com louvor o nome do poderoso Mario.

Outro personagem que era poderoso na época era o Rayman, de Rayman 2 The Last Escape, jogo no qual ele brilhava e que era um dos melhores platformers da época. E ainda é.

Mas entre os melhores da época, mesmo tentando algumas vezes, o último console de mesa de cartucho nunca conseguiu ter um jogo de luta bom. O mais próximo que chegou disso foi com Killer Instinct Gold, que, apesar de ser muito capado da versão Arcade, ainda era um ótimo fighting game, fruto da parceria com a Rare.

Que era uma ótima empresa de games. E outra ótima empresa de games é a Treasure, que criou Mischief Makers para o N64, que é um joguinho original e muito bom de jogar, embora difícil em algumas partes. Shake, shake, shake é inesquecível!

E inesquecível também é o port de um game do porte de Resident Evil 2 para um simples cartucho. Digno de nota, com certeza.

E, com um game surpreendente desses, eu termino os trabalhos desse post. Qual a opinião de vocês?