Posts com Tag ‘ubisoft’

prince of persia 3

Lembrando que eu só joguei o 2º e o 3º jogo. E que, por mais que eu queira, é impossível não fazer comparações.

História

Não é muito profunda e, spoileando, não tem nenhum grande plot twist. Entretanto os personagens sim, são profundos, principalmente o príncipe, com o qual você joga. E tem narração, que é um diferencial muito bacana.

Gráficos

Muito bons, embora, por ficar muito em lugares abertos, demonstre um pouco mais os limites do PS2. A direção de arte ficou muito boa, misturando clima de contos de fadas do 1º jogo e o clima dark do 2º. Agora algumas cenas são apresentadas em belíssimas CGs, o que é outra coisa bem vinda. E as expressões faciais tiveram leve evolução também.

Som

Absolutamente, irrefutavelmente soberbo. Muita qualidade aqui. E as dublagens também são boas. Senti falta das legendas.

Gameplay/Jogabilidade

Absurdamente boa, como é característica da série. E da Ubisoft. Adoro esses jogos porque els tem regras muito bem firmadas, o que os torna sólidos. Em jogos como Tomb Raider, a heroína pula até mesmo em diagonais e se agarra em coisas bastante diferentes, o que faz com que os puzzles sejam mais difíceis do que deveriam. Nos jogões de verdade como esse, você sabe as regras todas e só tem que ser criativo pra usá-las. Apesar de ser muito superior a qualquer outro jogo que eu tenha jogado, PoP3 ainda fica aquém do segundo jogo (disse que não tinha como não fazer comparações). Por algum motivo, está desbalanceado. Tem partes do jogo (perseguição final de biga, estamos te olhando) que se baseiam puramente em decorar. Isso vindo de uma série que, no segundo jogo tinha perseguições alucinantes que se baseavam muito pouco em decoreba (Dahaka). O príncipe tem muitos movimentos novos, muitos mesmo. E todos funcionam muito bem. Mas as batalhas me encheram o saco, não sei se é porque eu cansei delas em Warrior Within e esperava menos delas ou se elas são piores no 3, mesmo. O que eu sei é que até a Ubisoft (amo!) sabe disso, já que colocou um sistema de furtividade muito bem vindo ao jogo, que faz com que pelo menos algumas mortes possam ser rápidas. Ainda bem!

Conclusão

Jogão indicado a qualquer um. Por ter movimentos novos, fico na dúvida se indico esse ou o segundo pra jogar primeiro. Gostei bastante do clima dark, edgy, cool whatever do segundo e senti falta dele aqui. Embora eu tenha consciência de que a grande maioria da comunidade gamer (vide os reviews de sites famosos como Gamespot e IGN) defenestrou tal temática mais sombria nos PoP. Com certeza é um jogo da mais alta qualidade. Um dos grandes do PS2, o último capítulo de uma trilogia que ajudou a definir o 128-bit da Sony. E embora Sands of Time era pra ser uma trilogia, tem o Forgotten Sands, que transforma em quadrilogia… como assim? Toda a trilogia deve ser jogada por qualquer gamer de respeito. Outros jogos deveriam seguir seu estilo e exemplo de jogabilidade acima de tudo. (A Ubisoft lançou Assassin’s Creed, que parece uma versão aprimorada do estilo de PoP.) Eu não posso indicar um jogo sobre o outro porque cada um tem características diferentes. Coisas podem ser encontradas em um e não em outro. A equipe de produção foi esperta o suficiente pra dar valores individuais de produção pra cada um dos seus jogos, e isso é louvável, fazendo com que por ser seqüência, não tire todo o valor do jogo anterior. Muito bom mesmo!

Anúncios

Prince of Persia 2 Warrior Within

Prince of Persia Warrior Within é o segundo jogo de uma trilogia das mais importantes no PS2. E o ressurgimento de um ícone dos games, que há muito tempo não aparecia, e nunca antes teve uma aventura decente em 3D. O que foi completa e totalmente superado com o lançamento de Sands of Time, game anterior a esse e que deu início à fenomenal trilogia sands of time. Eu não joguei os outros dois jogos, portanto não posso comparar eles por nada mais do que leitura. E apenas por isso posso dizer que o terceiro jogo, Two Thrones, é o melhor dos três.

Warrior Witin foi muito criticado por deixar de lado o clima de conto de fadas existente no primeiro jogo, sendo um jogo muito mais sombrio e violento. Mas vamos ao review dele.

Jogabilidade

Vamos começar logo pelo aspecto mais importante e justificar logo esse review. Warrior Within é perfeito. Sem mais. Você no decorrer do game vai destravando vários movimentos, todos eles são bastante intuitivos e funcionais. E, além disso, tudo muito divertido. A câmera é algo absurdamente bem implementado. Você tem muito controle sobre ela, ela é bem estável e além disso não te deixa tonto como em quase todos os jogos totalmente poligonais. As respostas são precisas e os cenários/puzzles gigantescos do jogo são muito, mas muito bem produzidos. Com certeza uma produção genial. O sistema de batalha foi onde o jogo evoluiu sobre o primeiro em todos os aspectos. Agora você pode usar duas armas. A segunda delas vai se desgastando enquanto você usa e você pode perdê-la ou jogar nos inimigos. E depois pegar outra de um inimigo derrotado qualquer. Além disso, foi implementado um eficiente sistema de combos. E violência, com muitas decapitações e sangue. E uso do cenário, você pode pular em paredes e se rodar em mastros para atacar, ou derrubar os inimigos em buracos e armadilhas. Enfim, as possibilidades são quase infinitas. E ainda tem uns efeitos de câmera lenta muito legais que dão mais impacto ao jogo. Fora isso, a velha habilidade substituta do Continue está de volta, a habilidade de voltar no tempo. Assim como outras habilidades que são abertas no decorrer do jogo. E ainda tem as perseguições do Dahaka! Enfim… o jogo está perfeito nesse quesito.

Gráficos

Outro dos pontos de grande destaque da aventura. Embora não use de tudo que o PS2 tem a oferecer, é um dos melhores gráficos do PS2. Não tecnicamente, mas esteticamente. Truques são usados para disfarçar a incapacidade do hardware, como por exemplo os abundantes e estonteantes efeitos de iluminação. E funciona muito bem. A arte do jogo é toda fenomenal, os cenários e modelos de absolutamente tudo é muito lindo e grandioso. Pequenos detalhes se fazem notar. Com certeza um dos jogos mais bonitos de se ver.

Som

Trilha sonora que potencializa a experiência de verdade. Dublagem bem feita. Sons ambientes corretos. Acompanha a qualidade geral do game.

História

Nada muito incrível nesse quesito. Mas a trama não é só um motivo para puzzles descomunais. Vai um pouco além disso. Tem alguns pontos filosóficos (destino vs. Escolha). E tem uns ótimos plot twists. A trama, assim como o resto do produto, te mantém grudado do começo ao fim.

Conclusão

O único problema que encontrei no jogo foram os loadings, que eu achei meio demorados. E quando você morre tem um loading da tela de continue e depois loading do jogo de novo. O que irrita um pouco mas é um pequeno preço a se pagar por um jogo tão… fenomenal! Um dos melhores jogos do 128bit da Sony, impensável não ter.

Qualidade Ubisoft.

Prince of Persia Warrior Within